Última Hora
Advogado afirma que Nuno Rebelo de Sousa "nunca disse que não ia ao Parlamento" mas silêncio é para manter

De vencedor das eleições europeias em França a possível futuro primeiro-ministro. Quem é Jordan Bardella?

por Rachel Mestre Mesquita - RTP
Julien de Rosa -AFP

Jordan Bardella, de 28 anos, cabeça de lista do Rassemblement National (RN) de Marine Le Pen às eleições europeias, será o candidato da extrema-direita francesa ao cargo de primeiro-ministro, anunciou esta segunda-feira o partido. O anúncio surge depois de o presidente francês ter convocado eleições legislativas antecipadas face à vitória esmagadora do RN nas europeias que ficou muito à frente da coligação encabeçada pelo partido Renascimento (RE), do presidente Macron e do atual primeiro-ministro Gabriel Attal.

O jovem presidente do Rassemblement National - herdeiro da Frente Nacional fundada em 1972 por Jean-Marie Le Pen - tornou-se em 2022 o primeiro líder do partido sem o nome da família fundadora. Jordan Bardella, filho de imigrante italiano, recebeu o testemunho de Marine Le Pen em novembro de 2022, que após onze anos de governação lhe entregou a liderança do partido anti-imigração. Nas eleições internas para escolher o sucessor de Le Pen, Bardella alcançou 84,4 por cento dos votos.

Menos de dois anos depois,  Jordan Bardella alcançou um resultado histórico como candidato da RN às eleições europeias, conseguindo à extrema-direita de Marine Le Pen 31 por cento dos votos dos eleitores franceses, depois de ter feito uma campanha polémica contra a livre circulação de migrantes na União Europeia e a favor de controlos nas fronteiras nacionais.

O dobro dos votos da aliança Renascimento (RE) do presidente francês, Emmanuel Macron, que se ficou pelos 14 por cento dos votos com a candidata Valérie Hayer. O RN superou, assim, o bom resultado que tinha conseguido  nas eleições europeias de 2019, com 23 por cento dos votos, também com Bardella como candidato.

“Os nossos compatriotas expressaram um desejo de mudança.”, afirmou Jordan Bardella, no domingo à noite. "Um vento de esperança soprou em França e ainda agora começou.", acrescentou.
No seu discurso, no domingo à noite, apelou ao presidente francês para que escutasse a voz de mais de um terço dos franceses, que enviaram um sinal claro de mudança, e convocasse eleições legislativas antecipadas. "Esta derrota sem precedentes do atual Governo marca o fim de um ciclo e o primeiro dia da era pós-Macron", afirmou o líder do RN, apelando ao voto dos franceses que "queiram reerguer o país e permitir que a França recupere a esperança".

E perante os resultados históricos da extrema-direita e o apelo feito por Jordan Bardella, o presidente francês anunciou na noite eleitoral a dissolução da Assembleia francesa e a convocação de eleições legislativas antecipadas a 30 de junho, a primeira volta, e a 7 de julho, a segunda volta. "A França precisa de uma maioria clara para atuar com calma e harmonia”, argumentou Macron.


Ambos os líderes do Rassemblement National, Bardella e Le Pen, asseguraram que o partido estava pronto para governar o país se essa fosse a vontade dos franceses nas próximas eleições. "Estamos prontos para formar uma nova maioria para a França", escreveu Bardella, na rede social X, no domingo à noite. “Estamos prontos para exercer o poder se o povo francês depositar a sua confiança em nós nestas futuras eleições legislativas”, declarou Marine Le Pen, no discurso na noite eleitoral. 

Após o resultado histórico que Bardella ofereceu ao partido de Le Pen, o Rassemblement National decidiu avançar com o seu nome para candidato a primeiro-ministro nas próximas eleições. "Jordan Bardella foi eleito deputado europeu, por isso já tem a unção popular" afirmou o vice-presidente do RN, Sébastien Chenu, numa entrevista à rádio francesa RTL esta segunda-feira. "É o nosso candidato para ir a Matignon" anunciou Sébastien Chenu, referindo-se à residência oficial do primeiro-ministro em França. 
Mas quem é, afinal, a aposta de Marine Le Pen?

Nasceu em Seine-Saint-Denis, uma comuna francesa da Região Metropolitana de Paris, em 1995, onde frequentou a escola pública e privada francesa até chegar à Universidade Sorbonne, em Paris, para se formar em Geografia, licenciatura que não concluiu para dedicar-se à carreira política a tempo inteiro. 

Apesar de ser filiado num partido anti-imigração, Jordan Bardella, nunca escondeu as suas origens. Filho de uma imigrante italiana, que viajou dos subúrbios de Turim para França nos anos 60, e de um pai com origens italianas, gosta de se descrever como "um filho da imigração, um francês de sangue misto, 75% italiano", segundo o perfil traçado pelo jornal francês Le Monde.

O jovem político, de 28 anos, é membro do RN desde 2012, onde assumiu várias funções até chegar a presidente do partido em 2022. Começou como conselheiro regional da região da Île-de-France, em 2015, foi porta-voz do partido entre 2017 e 2019 e tornou-se diretor nacional da ala juvenil do partido - Génération Nation (GN)- em 2018. 

Durante a campanha presidencial de Marine Le Pen, em 2021, foi presidente interino e sucessivamente nomeado vice-presidente do partido, após dois anos como segundo vice-presidente. Quando foi eleito eurodeputado pelo RN, nas eleições europeias de 2019, Bardella já tinha quatro anos de experiência como assistente parlamentar no Parlamento Europeu.

Nos últimos anos, Jordan Bardella tornou-se a nova cara da extrema-direita em França e muito popular entre os jovens, sobretudo através das redes sociais, que utiliza para conquistar com o eleitorado mais jovem e veicular as mensagens populistas do Rassemblement National. Bardella tem 1,5 milhões de seguidores no TikTok e é frequentemente inundado com pedidos de selfies de fãs.
@jordanbardella Dimanche, si le peuple vote, le peuple gagne ! 🇫🇷 #DimancheJeVoteBardella ♬ son original - Jordan Bardella

Cerca de um terço dos jovens entre os 18 e os 24 anos (32 por cento) tencionavam votar em Jordan Bardella, de acordo com uma sondagem realizada pelo Ipsos, entre 19 e 24 de abril, para o Le Monde.
pub