Djokovic pode chegar ao topo dos Laureus

por Mário Aleixo - RTP
Djokovic é um dos favoritos ao prémio Laureus Rhona Wise - EPA

O regresso do tenista Novak Djokovic e nova indicação do futebolista Lionel Messi destacam-se nas nomeações dos Laureus para desportistas do ano, prémios em que a categoria feminina, que também repete nomeações, terá uma vencedora inédita.

Em masculinos, do último ano para este, voltam a estar indicados o piloto de F1 Max Verstappen, vencedor em 2022, Lionel Messi, em 2020 e 2023, e o recordista mundial do salto com vara Mondo Duplantis, anteriormente nomeado, mas que nunca venceu.

Entre os seis candidatos masculinos para este ano estão também o múltiplo vencedor Novak Djokovic, com quatro prémios Laureus (2012, 2015, 2016, 2019), o futebolista norueguês Erling Haaland e o velocista norte-americano Noah Lyles.

Estou muito emocionado por ser nomeado. Já ganhei quatro vezes e de cada vez foi muito especial e inesquecível. É uma honra diferente de qualquer outra porque são os membros da Academia Laureus que tomam a decisão final, e eles sabem que depois de chegarem ao topo do seu desporto, o que é preciso para ficar lá”, reconheceu Djokovic, citado pela organização.

Vencedora inédita entre as mulheres

Em femininos, haverá sempre uma vencedora inédita, apesar da tenista polaca Iga Swiatek e a esquiadora norte-americana Micaela Shiffrin repetirem nomeações, numa lista que tem ainda as estreantes Shericka Jackson (Jam, atletismo), Faith Kipyegon (Que, atletismo), Sha'Carri Richardson (EUA, atletismo) e Aitana Bonmati (Esp, futebol).

A vencedora, que será uma estreia, sucederá às velocistas jamaicanas Elaine Thompson-Herah e Shelly-Ann Fraser-Pryce, distinguidas em 2022 e 2023, respetivamente.

Mais prémios

Em outros prémios, destaque para o "golden boy" do futebol Jude Bellingham, transferido para o Real Madrid, ou para a tenista Coco Gauff, que venceu o seu primeiro Grand Slam (Open dos Estados Unidos), na categoria de revelação.

Nas equipas, a seleção espanhola feminina de futebol, inédita campeã mundial, e o Manchester City, também pela primeira vez vencedor da ‘Champions’, estão entre as nomeadas, mas também a seleção de râguebi da África do Sul, após o quarto título mundial.

Na divulgação, a organização lembra que as histórias desportivas não se concentram no destino, mas sim na jornada e por isso a categoria de prémios para os que regressaram, como a ginasta Simone Biles, após dois anos de ausência por questões de saúde mental, ou o futebolista Sebastien Haller, diagnosticado com um tumor testicular e que voltou a competir, entre outros.

Os seis nomeados de cada uma das sete categorias foram selecionados pelos 1.300 membros do Laureus Global Media Panel e o prémio Laureus de Melhor Paratleta do Ano foi por votação do Comité Paralímpico Internacional, sendo os vencedores conhecidos em cerimónia a realizar em 22 de abril, em Madrid.


pub