Euro2024. Roberto Martinez divulgou escolhas sem surpresas

por Mário Aleixo - RTP
Roberto Martinez divulgou e explicou as suas escolhas Lusa

O selecionador Roberto Martínez divulgou, ao início da tarde, os convocados de Portugal para a fase final do Euro2024 de futebol, numa lista sem surpresas.

A divulgação das escolhas do técnico espanhol realizou-se na Cidade do Futebol, em Oeiras, e a lista final pode sofrer alterações até 7 de junho, data limite imposta pela UEFA para a inscrição dos jogadores que vão participar no torneio a realizar na Alemanha.


Eis a lista completa dos futebolistas escolhidos:

Guarda-redes: Diogo Costa, José Sá e Rui Patrício;

Defesas: António Silva, Danilo, Diogo Dalot, Gonçalo Inácio, João Cancelo, Nélson Semedo, Nuno Mendes, Pepe, Rúben Dias.

Médios: Bruno Fernandes, João Neves, João Palhinha, Otávio, Rúben Neves, Vitinha, Bernardo Silva.

Avançados: Cristiano Ronaldo, Diogo Jota, Francisco Conceição, Gonçalo Ramos, João Félix, Pedro Neto e Rafael Leão.

No Euro2024, Portugal vai disputar o Grupo F juntamente com República Checa (em 18 de junho, em Leipzig), Turquia (22, em Dortmund) e Geórgia (26,
Antes de partir para solo germânico, a seleção nacional vai realizar três jogos de preparação, frente a Finlândia (4 de junho, no Estádio José Alvalade), Croácia (8 de junho, no Estádio Nacional) e República da Irlanda (11 de junho, em Aveiro).

O Euro2024 vai decorrer de 14 de junho a 14 de julho.

A seguir ao anúncio dos nomes o selecionador respondeu a algumas questões. Eis as mais esperadas:

Pode explicar como é que o Sporting só tem um jogador convocado? Trincão foi um dos melhores do campeonato, Paulinho também teve grande impacto... Não é um risco levar jogadores que tiveram várias lesões ao longo da temporada como Pepe, Jota ou Nuno Mendes?

"Na minha experiência, na nossa forma de trabalhar, não foi possível para um jogador entrar na lista do Europeu se não fez parte da Seleção durante os últimos seis estágios. Acho que temos muitos jogadores, tivemos um apuramento impecável e temos decisões difíceis, mas que precisamos de tomar para ter uma equipa equilibrada com todas as opções que precisamos. Claramente acho que o Trincão e o Pote tiveram uma época excecional, mas tiveram azar porque o estágio de março era importante. Agora, para entrar na lista, precisamos de jogadores que saiam da lista. Com muita responsabilidade, honestidade e trabalho, as decisões têm em conta o que precisamos de fazer no Europeu. É importante sempre ter uma decisão médica quanto aos jogadores, que estão aptos. Só Raphael Guerreiro, que foi muito importante para nós, tem um perfil e é uma pessoa especial, não está apto para o começo da preparação. Os outros: Pedro Neto entrou, fez o último jogo da época, Diogo Jota também está apto e Pepe também. Não há risco, é o risco normal. No futebol podem acontecer acidentes, mas acho que não estamos a correr riscos. Temos uma boa mistura de experiência e pernas frescas, com 'miúdos'. É uma lista de 26 jogadores que dará uma boa resposta".

Em algum momento hesitou em convocar Pepe? Como avalia o atual momento de Cristiano Ronaldo e o que espera dele?

"Temos um balneário muito interessante porque temos jogadores de gerações diferentes. Os nomes do Pepe e do Cristiano são de uma geração diferente relativamente à do Bernardo, do Rúben Dias, do João Neves e António Silva. O papel do Pepe no balneário é importante, a forma de representar a camisola da Seleção. Acho que, durante o estágio, o futebol é uma luta constante. E foi interessante ver o Pepe fazer dois jogos em março e manter a baliza a zeros durante os 90 minutos em que jogou. A sua comunicação, o seu posicionamento, fazem com que, quando está apto, seja um jogador muito importante. Cristiano? É melhor falar dos dados. É um jogador que marca 42 golos em 41 jogos pelo seu clube, e isso mostra uma continuidade e capacidade física de estar sempre apto, além da qualidade que tem à frente da baliza que gostamos muito e precisamos".

Qual foi o jogador que lhe custou mais deixar de fora? Já falou na mistura de experiência e juventude, isso cria a convocatória perfeita para conquistar o Europeu?

"Não gosto de falar de nomes em específico, mas acho que preciso de falar de um jogador que foi muito difícil deixar fora, que é o Ricardo Horta. É um exemplo, um jogador técnica e taticamente que é um sonho para um treinador. Mas há outros jogadores que são especialistas em jogadores que precisamos para o que queremos fazer contra a República Checa, a Turquia e a Geórgia. Foi impossível deixá-los de fora, mas ele fez tudo para estar na lista. Temos continuidade, que é importante para trabalhar conceitos. Gostamos de flexibilidade tática, mas temos jogadores com experiência, jogadores novos. O momento de forma do Francisco Conceição é importante. Temos opções para jogar com uma linha de cinco, de três, de quatro... De jogar com dois pontas-de-lança também. Acho que essa mistura do grupo a nível de jogadores é perfeita".

pub