Cavaco Silva felicita Ronaldo e destaca o seu "excecional nível desportivo"

| Futebol Internacional

O Presidente da República português, Cavaco Silva, felicitou hoje Cristiano Ronaldo, que venceu a Bola de Ouro da FIFA para melhor jogador do Mundo em 2013, pelo "excecional nível desportivo" do futebolista.

"É o primeiro português a receber por duas vezes esta distinção. Este galardão é o reconhecimento do seu excecional nível desportivo, do empenho e dedicação que tem colocado em todo o seu percurso como futebolista", diz Cavaco Silva em mensagem divulgada na página Internet da Presidência da República.

Felicitando Cristiano Ronaldo em seu nome e em nome "de todos os portugueses", Cavaco Silva diz ainda que a distinção da FIFA "significa também a valorização do desporto em Portugal e é um estímulo para os jovens desportistas, dando um contributo muito relevante para a projeção internacional do nosso país".

"Aceite as minhas felicitações e os desejos de muitos sucessos pessoais e desportivos", escreve o Presidente da República no final da mensagem endereçada ao atleta.

Na votação, cujo resultado final foi apresentado pelo antigo futebolista Pelé, na Gala da FIFA, em Zurique, na Suíça, o português do Real Madrid bateu o argentino Lionel Messi, do FC Barcelona, e o francês Franck Ribery, do Bayern de Munique.

Apesar de não ter vencido qualquer título coletivo, Cristiano Ronaldo bateu o recorde pessoal de golos num ano civil, ao apontar 69 tentos em 59 jogos oficiais.

Tópicos:

Franck Ribery Bayern, Pelé Gala FIFA Zurique,

Pesquise por: Franck Ribery Bayern, Pelé Gala FIFA Zurique,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, garantiu que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.