O Sábio

13 Abr, 2017 | Episódio 73

Partilhar este episódio
Posi�ao Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - O Sábio

O Sábio

13 Abr, 2017 | Epis�dio 73

Manuela lamenta que possam libertar Luís. Romão desdramatiza. Manuela comenta que gostava de ver a Carmen a penar mais um bocadinho.
Cândida conta a Romão e Manuela que Sofia e Ricardo voltaram a namorar, mas Rita não acredita, pois duvida que Sofia se deixe enganar duas vezes. Rita convence os pais a deixarem-na ir estudar com Gabriel. Cândida fica desconfiada.
Adelaide agradece o convite de Ricardo para ir jantar com ele e Sofia. Adelaide acaba por confessar a Alzira que ela também gosta muito de cozinhar. Sofia fica entusiasmada e propõe que a tia aproveite os dias de descanso, para se divertir na cozinha.
António e Cremilde estão a fechar o bar. João perguntar se precisam de ajuda, mas os pais dizem que já está tudo orientado. António fica para trás para procurar o seu telemóvel. Mas acaba por se esquecer da chave da arrecadação...no bar.
Pedro acorda com dores de cabeça e vai até à sala buscar um comprimido, mas não tem. Controla a respiração e concentra-se com a intensão de controlar a dor.
A festa no clube está animada. António entra e nem quer acreditar no que está a ver. Desliga o som e pergunta o que se passa ali. As pessoas começam a sair. António aproxima-se de João, que lhe mente dizendo que fez uma pequena reunião de amigos. António perde a cabeça e esbofeteia o filho. Diz-lhe que limpe tudo e promete que vão voltar a falar no dia seguinte.
Manuela espera que Rita entre em casa, pergunta-lhe pelos livros e exige a verdade. Rita confessa que foi a uma festa. Insolente diz-lhe que aprendeu com ela a mentir. Manuela dá-lhe um estalo e diz-lhe que acabaram os votos de confiança.
Jorge vai ter com Pedro, que tenta disfarçar mas acaba de ter mais uma forte de cabeça. Pedro diz-lhe que vai preparar um documento de leitura fácil que explique aos habitantes o impacto ambiental de uma mina em Montemor. Jorge fica animado com a ideia.
António e Cremilde entram no bar e deparam-se com João a dormir em cima das mesas. António diz-lhe que deixou de ter mesada e que, para a próxima, o põe fora de casa.
Evelina e Arnaldo reparam que Domingos está desanimado. Entra Vera e faz um comentário maldoso a Domingos, acerca da falta de masculinidade dele. Domingos conta a Evelina e Arnaldo que está com problemas em conseguir ter relações sexuais, o seu Dominguinhos reformou-se.
Raúl visita a mãe no hospital e confirma que ela está com uma atitude diferente. Raúl comenta essa alteração com Jorge, ele promete que irá falar com o neurologista.
Luís mostra-se muito ansioso por sair da prisão, mas lamenta não ter Sofia à sua espera. Carmen comenta que ela não acreditou na inocência dele e que se calhar é instável e infantil como o pai. Luís estranha o comentário e Carmen conta-lhe que ele a deixou.
Ricardo convence Sofia a irem jantar a casa dos pais dela. Surge Pedro que precisa de analgésicos fortes e pede a Sofia para ir jantar um dia com ele, ela aceita e combinam para o dia seguinte.
Pedro Homem acabou de regressar à cidade onde nasceu e onde passou a maior parte da sua vida (Montemor-o-Novo). Mas de onde desapareceu sem deixar rasto e esteve misteriosamente ausente durante 20 anos.
As razões do seu desaparecimento foram sempre alvo de especulação. Pedro era uma figura popular na cidade, conhecido por fazer as pessoas olharem para a vida por outra perspetiva - e com isso gerou milagres que sempre recusou serem da sua responsabilidade. Na verdade, Pedro tem um dom inexplicável: por vezes vê o futuro. Mas as visões do futuro podem ser simultaneamente uma bênção e uma armadilha. Pedro é, aliás, o exemplo disso: quando ainda jovem, vê a sua namorada, Carmen, vestida de noiva num caixão, com um anel de noivado que perceciona ter sido dado por ele. Como se o destino o avisasse que nunca poderiam viver juntos, talvez por sentirem um amor maior que o mundo.
Pedro acaba por se envolver, já jovem adulto, com Manuela, e tem uma filha com ela. Mas vive então momentos tempestuosos e recebe uma séria ameaça de morte. Para sobreviver, tem de abandonar Montemor - perdendo o contacto com a filha de 5 anos, Sofia. Parte sem dizer nada a ninguém porque não conseguiria explicar uma outra visão que marca a sua vida: o coração dele e da filha estão ligados por um laço especial do destino. Se aquela ameaça de morte se cumprisse e ele morresse, a sua filha morreria também.
Porque voltou Pedro agora? Pela filha? Por Carmen? Por ele próprio?
Montemor-o-Novo está diferente, nestes 20 anos muita coisa mudou. Manuela é entretanto uma taróloga famosa. Carmen explora uma quinta de produção biológica. Sofia é farmacêutica.
Mas há coisas que se mantêm: o Clube de pesca onde os velhos amigos de Pedro ainda se reúnem, o quartel de Bombeiros onde estão sempre prontos os soldados da paz mais divertidos do país e a influência subterrânea e maliciosa de Cândida, a chamada ?bruxa do Alentejo? e mãe de Manuela.
O Sábio é uma estória passada numa cidade antiga e sábia, grande o suficiente para guardar muitos segredos que vão agora ser revelados.