Posiçao Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - O Sábio

O Sábio

18 Jan, 2017 | Episódio 12

Pedro vai agradecer à filha por ela ter vindo ao velório de Jacinto. Sofia, amarga, explica-lhe que não o fez para lhe dar apoio, mas sim pela consideração que tinha pelo seu velho tio. Pedro diz-lhe que não vai desistir dela, que nada os pode separar, e que estão ligados um ao outro. Sofia, antes de sair, deixa bem claro que não o vai aceitar de volta.
Romão comenta com Manuela que esteve com o Pedro no velório e que parece que a ele nada o transtorna. Porém, mostra-se desagradado com a sensação de que Manuela ainda fica afetada por Pedro. Manuela nega, e, carinhosa, diz a Romão que não há motivo para ter ciúmes.
Pedro evita a conversa acerca do neurocirurgião que Jorge lhe recomenda, e diz que viu Carmen apenas de fugida no Velório. Jorge comenta que o seu grande erro foi trocá-la por Manuela, mas Pedro justifica que foi um acidente de percurso.
Luís conta à mãe que aguarda uma resposta para sair de Montemor. Carmen estranha o desprendimento tão acentuado do filho.
Manuela e Cândida comentam, apreensivas, que Sofia está muito triste e que vai levar tempo a passar esse sentimento de perda. Cândida conta a Manuela que pediu a um conhecido seu que trabalha na morgue para lhe revelar o conteúdo do relatório da autópsia de Jacinto. Manuela fica grata pela influência da mãe. As duas mostram-se ansiosas para que esse relatório esteja concluído, e que não revele nada sobre os comprimidos comercializados por Manuela.
Rita, que toma o café da manhã com a Adelaide, propõe ir dar um passeio com a tia nessa tarde. Adelaide diz que costumava ir ao parque com uma pessoa, mas Rita não sabe de quem se trata e Adelaide começa a ficar mais agitada.
Romão acaba de receber a carta da seguradora e fica furioso porque vai ter de ser ele a avançar com a despesa da reconstrução do que foi destruído. Romão culpa Valentim por não o ter evitado com o seu relatório sobre o incêndio. Gil encontra uma lima no chão e aconselha Romão a ter cuidado com as visitas de Sandra. Romão agradece, tece-lhe grande elogio pela sua fidelidade ao longo dos anos, e acena-lhe com um aumento.
Luís recebe um email da Escócia a dizer que ficou com o lugar a que se candidatara. O seu sentimento é de grande feliz, enquanto Carmen procura disfarçar a sua tristeza.
Raul e Valentim conversam sobre o arraial dos bombeiros. Valentim diz-lhe que não se pode parecer com um peditório. Raul insiste na necessidade de adquirirem uma nova ambulância e comenta que agora já não podem contar com a contribuição de Romão. Valentim não quer saber, pede que prossigam com a organização do arraial, mas pede que tal não interfira na operacionalidade da corporação.
Pedro encontra as Cápsulas Vitalonga numa gaveta do tio, mas mantem-nas guardadas no mesmo sítio.
Sofia pede a Ricardo que lhe traga alguns produtos do armazém. Luís aparece na farmácia para se despedir de Sofia e contar-lhe que vai para a Escócia. Sofia e Luís são interrompidos pela entrada brusca de um assaltante, que de faca em punho pede analgésicos e ansiolíticos, para além de todo o dinheiro da caixa. Quando Ricardo entra novamente vindo do armazém o assaltante agarra Sofia e ameaça-a com a faca encostada ao pescoço. Luís e Ricardo ficam aterrorizados com a possibilidade de acontecer algo a Sofia.
Pedro continua nas arrumações dos pertences do Tio Jacinto e olha para uma fotografia de Sofia abraçada ao tio Jacinto. Pedro tem um mau pressentimento e sai de casa a correr.
O assaltante exige a Ricardo para que lhe passe o dinheiro, mas Luís pede ao assaltante que não faça mal a Sofia. Durante uma distração, Ricardo aproveita para fugir da farmácia, enquanto Luís puxa Sofia e coloca-se entre os dois, de forma a protege-la. Luís diz ao ladrão que lhe vai passar o dinheiro, mas que não faça mal a Sofia. O Ladrão tenta recuperar Sofia e os dois envolvem-se numa luta. Luís termina no chão com um golpe na barriga e o assaltante foge. Sofia muito assustada, pelo estado de Luís, chama Pedro Homem acabou de regressar à cidade onde nasceu e onde passou a maior parte da sua vida (Montemor-o-Novo). Mas de onde desapareceu sem deixar rasto e esteve misteriosamente ausente durante 20 anos.
As razões do seu desaparecimento foram sempre alvo de especulação. Pedro era uma figura popular na cidade, conhecido por fazer as pessoas olharem para a vida por outra perspetiva - e com isso gerou milagres que sempre recusou serem da sua responsabilidade. Na verdade, Pedro tem um dom inexplicável: por vezes vê o futuro. Mas as visões do futuro podem ser simultaneamente uma bênção e uma armadilha. Pedro é, aliás, o exemplo disso: quando ainda jovem, vê a sua namorada, Carmen, vestida de noiva num caixão, com um anel de noivado que perceciona ter sido dado por ele. Como se o destino o avisasse que nunca poderiam viver juntos, talvez por sentirem um amor maior que o mundo.
Pedro acaba por se envolver, já jovem adulto, com Manuela, e tem uma filha com ela. Mas vive então momentos tempestuosos e recebe uma séria ameaça de morte. Para sobreviver, tem de abandonar Montemor - perdendo o contacto com a filha de 5 anos, Sofia. Parte sem dizer nada a ninguém porque não conseguiria explicar uma outra visão que marca a sua vida: o coração dele e da filha estão ligados por um laço especial do destino. Se aquela ameaça de morte se cumprisse e ele morresse, a sua filha morreria também.
Porque voltou Pedro agora? Pela filha? Por Carmen? Por ele próprio?
Montemor-o-Novo está diferente, nestes 20 anos muita coisa mudou. Manuela é entretanto uma taróloga famosa. Carmen explora uma quinta de produção biológica. Sofia é farmacêutica.
Mas há coisas que se mantêm: o Clube de pesca onde os velhos amigos de Pedro ainda se reúnem, o quartel de Bombeiros onde estão sempre prontos os soldados da paz mais divertidos do país e a influência subterrânea e maliciosa de Cândida, a chamada ?bruxa do Alentejo? e mãe de Manuela.
O Sábio é uma estória passada numa cidade antiga e sábia, grande o suficiente para guardar muitos segredos que vão agora ser revelados.