O Sábio

24 Mai, 2018 | Episódio 289

Partilhar este episódio
Posição Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - O Sábio

O Sábio

24 Mai, 2018 | Episódio 289

Depois de confrontada por Gabriel, Júlia afirma que não descansa enquanto não mandar Sandra embora. Gabriel diz-lhe se isso acontecer ele irá atras dela. Júlia acusa Sandra de o ter enfeitiçado. Gabriel deixa-a a falar sozinha. Cremilde tenta que Pedro e Jorge assinem o abaixo-assinado contra Sandra e também acha que ela é indesejável ali. Pedro não assina nem Jorge e ambos acham que Sandra não merece ser tratada daquela forma mas Cremilde está decidida a fazer alguma coisa. Madalena conta a Cândida que o casamento de Telmo foi novamente cancelado porque Marco ficou doente. Acha que lhe pegou o que tem. Cândida fica preocupada pois percebe que Marco deve ter comido um dos seus bolos. Na oficina de Pedro, Romão acusa João de andar a espiá-lo. João perde as estribeiras e quase que o agride. Felizmente, Gil chega a tempo de evitar o pior. Romão sai e João pergunta a Gil se voltou a trabalhar para Romão. Ele nega, mas avisa-o para ter cuidado. Romão agradece a Gil por ter aparecido pois ia matar João. Gil afirma que está de olho em João e que não há razão para desconfiar dele. Romão comenta com Gil que uma pessoa da sua confiança vai trazer-lhe o dinheiro da Suíça de carro. Felícia aconselha Sandra a esquecer os comentários das outras pessoas e acha que ela deve ter orgulho porque o filho que aí vem é fruto de um amor verdadeiro. Preocupada, Sandra conta-lhe que Júlia anda a organizar uma manifestação contra ela. Gil partilha com Luís o que Romão lhe disse sobre o transporte do dinheiro. Romão recebe um telefonema de Madalena a pedir-lhe que a leve ao hospital pois esta pior. Antes de sair, Romão diz a Cândida que Madalena piorou e que vai levá-la ao hospital. Cândida liga, satisfeita, a Manuela a dizer que o plano está a funcionar. Em conversa com Pedro, João reconhece que podia ter assassinado Romão e sente que não tem emenda. Pedro recorda-o que é normal as pessoas perderem a cabeça quando se sentem injustiçadas. No hospital, Jorge observa Madalena que está muito debilitada e manda-a ficar internada, em observação. Romão sente-se impotente diante daquilo tudo. Alzira recusa assinar o abaixo-assinado contra Sandra. Cristina vai até ao restaurante para lhe dizer que vai jantar com Raul e Alzira reforça que não tem problema nenhum com isso. Assim, Cristina fica mais descansada. Raul conta a Domingos que tem um encontro e este observa que o chefe abusou no perfume. Domingos afirma diante de todos que pretende ser, novamente, o bombeiro do ano mas ninguém o leva a sério. Carmen comenta com Luís que Madalena ainda gosta de Pedro. Luís afirma que se ela ficar com Romão só se estraga uma casa e Sofia fica incomodada por ouvir falar do pai adotivo daquela maneira. Percebe que não gostam nada dele. Romão entra em casa, de rastos. Comenta com Cândida que Madalena está gravemente doente e ninguém sabe o que ela tem. Cândida disfarça a sua alegria. Pedro Homem acabou de regressar à cidade onde nasceu e onde passou a maior parte da sua vida (Montemor-o-Novo). Mas de onde desapareceu sem deixar rasto e esteve misteriosamente ausente durante 20 anos.
As razões do seu desaparecimento foram sempre alvo de especulação. Pedro era uma figura popular na cidade, conhecido por fazer as pessoas olharem para a vida por outra perspetiva - e com isso gerou milagres que sempre recusou serem da sua responsabilidade. Na verdade, Pedro tem um dom inexplicável: por vezes vê o futuro. Mas as visões do futuro podem ser simultaneamente uma bênção e uma armadilha. Pedro é, aliás, o exemplo disso: quando ainda jovem, vê a sua namorada, Carmen, vestida de noiva num caixão, com um anel de noivado que perceciona ter sido dado por ele. Como se o destino o avisasse que nunca poderiam viver juntos, talvez por sentirem um amor maior que o mundo.
Pedro acaba por se envolver, já jovem adulto, com Manuela, e tem uma filha com ela. Mas vive então momentos tempestuosos e recebe uma séria ameaça de morte. Para sobreviver, tem de abandonar Montemor - perdendo o contacto com a filha de 5 anos, Sofia. Parte sem dizer nada a ninguém porque não conseguiria explicar uma outra visão que marca a sua vida: o coração dele e da filha estão ligados por um laço especial do destino. Se aquela ameaça de morte se cumprisse e ele morresse, a sua filha morreria também.
Porque voltou Pedro agora? Pela filha? Por Carmen? Por ele próprio?
Montemor-o-Novo está diferente, nestes 20 anos muita coisa mudou. Manuela é entretanto uma taróloga famosa. Carmen explora uma quinta de produção biológica. Sofia é farmacêutica.
Mas há coisas que se mantêm: o Clube de pesca onde os velhos amigos de Pedro ainda se reúnem, o quartel de Bombeiros onde estão sempre prontos os soldados da paz mais divertidos do país e a influência subterrânea e maliciosa de Cândida, a chamada ?bruxa do Alentejo? e mãe de Manuela.
O Sábio é uma estória passada numa cidade antiga e sábia, grande o suficiente para guardar muitos segredos que vão agora ser revelados.