Jonas considerado o melhor jogador da Liga em março

| 1.ª Liga

Jonas voltou a ser eleito o melhor jogador a atuar na Liga
|

O avançado do Benfica foi eleito como o melhor jogador da Liga Portuguesa no mês de março. Jonas vence o prémio desde outubro e deixou para trás a concorrência de Ricardo Horta (SC Braga) e Rafa (SL Benfica).

Jonas voltou a ser escolhido como o melhor jogador a atuar na Liga Portuguesa no mês de março, recolhendo a preferência de mais de 40 por cento dos votantes.

Frente ao Marítimo, Desportivo das Aves, Feirense e Vitória de Guimarães, o avançado de 34 anos participou nas quatro partidas dos encarnados no último mês na Liga Portuguesa e marcou seis golos. Jonas deixou para trás Ricardo Horta e o colega de equipa Rafa.

Nas votações anunciadas pela Liga Portuguesa, Bruno Varela arrecadou o prémio de melhor guarda-redes, sem que tivesse sofrido qualquer golo nas partidas que disputou. Rúben Dias foi escolhido como o melhor defesa, André Horta o melhor médio e Jonas arrecadou a distinção de melhor avançado.

Noutras categorias, Abel Ferreira, do Sporting de Braga, destacou-se por ter sido o melhor treinador da Liga em março e André Pereira, emprestado pelo FC Porto ao Vitória de Setúbal, marcou o melhor golo do campeonato no último mês.


Foi frente ao Portimonense que o jogador de 22 anos disferiu um portentoso remate que valeu um empate com a equipa algarvia.

Na II Liga, Ricardo Gomes, jogador do Nacional da Madeira, foi distinguido com o prémio de melhor jogador, com 22 por cento da votação.Deixou para trás o colega de equipa Murilo e Chiquinho, da Académica de Coimbra.

Tópicos:

Abel Ferreira, André Pereira, II Liga, Jonas, Liga, Nacional da Madeira, Ricardo Gomes, Benfica,

Pesquise por: Abel Ferreira, André Pereira, II Liga, Jonas, Liga, Nacional da Madeira, Ricardo Gomes, Benfica,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.