CMVM suspende negociação das ações do Futebol Clube do Porto

por Lusa
Nigel Keene/ProSportsImages/DPPI via AFP

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) suspendeu hoje a negociação das ações do FC Porto SAD, enquanto aguarda “a divulgação de informação relevante ao mercado”.

O comunicado do regulador do mercado surge um dia após o presidente do clube e do conselho de administração da SAD, Pinto da Costa, ter dito que não deixará o FC Porto refém de fundos de investimento e de André Villas-Boas, candidato à presidência dos ‘dragões’, ter questionado a sociedade sobre negócios estruturantes.

“O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) determinou no dia 02/abr/2024 pelas 09:25 (UTC), nos termos do artigo 214.º e da alínea b) do n.º 2 do artigo 213.º do Código dos Valores Mobiliários, a suspensão da negociação das ações Futebol Clube do Porto - Futebol, SAD, aguardando a divulgação de informação relevante ao mercado”, refere a comunicação ao mercado.

Em 28 de março, último dia em que negociaram, as ações da FC Porto SAD fecharam estáveis, em 1,15 euros, com 20 títulos a mudarem de mãos.

Pinto da Costa, que incluiu o gestor da Quadrantis na sua recandidatura às eleições dos vice-campeões nacionais de futebol, disse na segunda-feira que o clube portuense não ficará refém de fundos de investimento, em entrevista à estação televisiva SIC.

“Claro que não. Isso era um absurdo. Um indivíduo empresta dinheiro ao FC Porto, o FC Porto precisa do empréstimo e é altamente beneficiado com o pagamento de juros que já está a pagar e eu vou agora desconfiar de quem me ajuda? Não falta a quem esse fundo queira emprestar dinheiro bem mais alto”, explicou.

Designado como candidato a vice-presidente do clube para a área financeira pela lista de Pinto da Costa, caso o dirigente seja reeleito em 27 de abril, o empresário João Rafael Koehler é fundador e administrador da empresa de gestão de capital de risco Quadrantis.

Essa sociedade engloba a empresa Connect Capital, que celebrou em abril de 2023 um empréstimo de 14,5 milhões de euros (ME) à FC Porto SAD, cuja data de vencimento irá até janeiro de 2029, tal como consta do último relatório e contas semestral dos ‘dragões’.

O empréstimo da Connect Capital e eventuais operações adicionais de antecipação de receitas que possam ter como contraparte fundos detidos pela Quadrantis foram citadas por André Villas-Boas, ex-treinador e adversário eleitoral de Pinto da Costa, numa carta enviada em 14 de março à administração da FC Porto SAD, à qual a Lusa teve acesso na segunda-feira.

Pinto da Costa, que está no 15.º mandato consecutivo e é o dirigente com mais títulos e longevidade do futebol mundial, concorrerá à presidência do FC Porto com André Villas-Boas, ex-treinador da equipa de futebol, e o empresário Nuno Lobo, candidato batido em 2020, nas eleições dos órgãos sociais, em 27 de abril, no Estádio do Dragão, no Porto.


pub