Comissão Europeia não vai analisar queixa do fundo Doyen

| Futebol Internacional

Legenda da Imagem
|

A Comissão Europeia não vai analisar uma queixa contra a proibição da FIFA de existirem terceiras partes nos passes de futebolistas, uma questão levantada pelo fundo de investimentos Doyen.

Numa carta dirigida ao fundo, sediado em Malta, os responsáveis da Comissão referem que a mesma "não pretende levar a cabo qualquer inquérito em relação às suas alegações".

Em causa está uma queixa da Doyen e do clube belga Seraing, com a argumentação de que as proibições da FIFA em relação aos detentores de terceiras partes violam as leis europeias da concorrência.

A Comissão Europeia rejeitou esse ponto de vista, considerando que os `fundos` criam conflitos de interesse entre clubes, futebolistas e investidores.

A FIFA e a UEFA têm trabalhado no sentido de impor proibição aos fundos, impedindo que os futebolistas se transfiram apenas para gerarem lucro, no sentido de manterem a integridade do jogo.

A UEFA entende mesmo que "é imoral e ilegal" a negociação de direitos económicos dos jogadores.

 

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.