Francesco Totti assume cargo de diretor na AS Roma

| Futebol Internacional

|

A Roma anunciou esta segunda-feira que o lendário ex-futebolista Francesco Totti vai continuar no clube enquanto diretor, numa entrevista ao antigo ‘capitão' publicada no sítio oficial da Internet do emblema romano.

Depois de 25 anos a representar os ‘giallorossi' e de uma emocionante despedida no final da temporada passada, o icónico número 10 vai passar agora a ajudar o clube, trabalhando ao lado do diretor desportivo Monchi e do treinador Eusebio Di Francesco.

"Vou começar pelo início. Agora principia uma nova fase e uma nova aventura. Tive tempo para pensar nas coisas e decidir que verdadeiramente estou pronto para continuar a servir esta equipa, dia após dia, com calma e confiança, para aprender um novo papel e acrescentar algo novo, acima de tudo", explicou Totti, durante a entrevista.

O ex-internacional italiano revelou também o que sentiu na sua despedida dos relvados, a 28 de maio, a paixão pelo futebol e a cidade romana, e as dúvidas de alguém que teve de pensar no futuro fora dos relvados, já com 40 anos na bagagem, 25 dos quais a servir um único símbolo.

“Quando mudas o teu papel, tens sempre de demorar algum tempo para conhecer melhor a situação em que te estás a meter, mas eu sou suficientemente afortunado de saber bem qual é a atmosfera à volta do clube e da cidade. As dúvidas são apenas sobre o que é que eu quero fazer para alcançar algo grande", disse.

‘Il Capitano' prosseguiu, apontado que "neste momento os detalhes não são precisos" e que não quer uma função específica: "Quero ser tudo e nada. Quero ser uma pessoa importante para Roma e Roma percebe que é isso que eu quero fazer".

Apesar da mudança brusca, Totti não deixa de ser ele próprio, como se pode constatar pela resposta dada às perguntas "e agora, Francesco, como o tratamos?" e "o que diz no seu cartão de negócios?":

"Francesco, como sempre. Francesco, AS Roma", finalizou.

A informação mais vista

+ Em Foco

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Hotéis de luxo e restaurantes de autor crescem ao lado de quem vive sem água ou luz. A Comporta tem um novo proprietário que quer transformar aquela zona num local para estrangeiros ricos.

    O Parque das Nações vai receber as duas semifinais e a final nos dias 8, 10 e 12 de maio do próximo ano. Já o festival português vai decorrer em Guimarães.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.