Fundo Elliot vai controlar AC Milan e injectar 50 milhões

| Futebol Internacional

O fundo norte-americano Elliott promete recolocar, a prazo, o Milan em lugar de destaque
|

O fundo norte-americano Elliott anunciou que vai controlar o AC Milan e avançar com uma injeção de 50 milhões de euros para "estabilizar as finanças" do clube de futebol italiano.

O fundo Elliott assume desta forma o controlo do clube, já que o investidor chinês Li Yonghong não honrou o vencimento da dívida. Li tinha até ao passado dia 6 de julho para pagar 32 milhões de euros ao fundo americano, que emprestara a verba para a compra do AC Milan.

Num comunicado divulgado na noite de terça-feira, o fundo Elliott anunciou que com essta aquisição abre um "novo capítulo para o Milan".

"A visão do fundo Elliott para o AC Milan é simples: criar estabilidade financeira e gestão sólida, para alcançar o sucesso de longo prazo, concentrando-se nos fundamentos e garantindo que o clube esteja bem capitalizado e liderar um modelo de negócio sustentável que respeite os regulamentos de 'fair play' financeiro da UEFA", refere o documento.

O fundo sublinha que tem consciência do "desafio e a responsabilidade que a propriedade desta grande instituição representa".

Até então propriedade do ex-primeiro ministro italiano Silvio Berlusconi, o AC Milan foi oficialmente comprado em 13 de abril de 2017, por 740 milhões de euros, por investidores chineses liderados pelo misterioso Li Yonghong.

No lado desportivo, o AC Milan, que gastou 200 milhões de euros para recrutar jogadores no último verão, terminou num dececionante sexto lugar na liga italiana, que foi conquistada pela Juventus.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A menos de 100 quilómetros da fronteira com a Síria, a cidade turca de Gaziantep é uma terra de tradições e sabores.

      Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.