Gordon Strachan deixa cargo de selecionador da Escócia

| Futebol Internacional

|

O treinador Gordon Strachan deixou quinta-feira o comando técnico da seleção de futebol da Escócia, ao fim de cinco anos no cargo, após fracassado o apuramento para o Mundial2018, a realizar na Rússia.

A Escócia terminou em terceiro lugar o grupo F da fase europeia de qualificação, atrás da Inglaterra (1.ª) e da Eslováquia (2.ª) – seleção que falha o ‘play-off’ por ter sido a pior segunda posicionada dos nove grupos -, sendo que a última presença escocesa num grande torneio remonta ao Mundial98, em França.

A Associação Escocesa de Futebol anunciou hoje, após a realização de uma reunião da direção, ter "acordado na necessidade de contratar um novo treinador nacional para dar um novo impulso à seleção”.

Gordon Strachan, de 60 anos, ex-internacional escocês, que se notabilizou como médio ao serviço dos ingleses do Manchester United e do Leeds, assumiu o comando da seleção da Escócia em janeiro de 2013.

O percurso da seleção escocesa para o Mundial2018 ficou comprometido com o fraco início da fase de qualificação, com quatro pontos somados nos quatro primeiros jogos, apesar de concluir a campanha invicta nos últimos seis.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, sofreu queimaduras de terceiro grau e esteve dez horas à espera de ser internado. Foi operado 14 vezes e regressou a casa ao fim de seis meses.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.