Sevilha termina liga espanhola a golear despromovido Osasuna

| Futebol Internacional

O Sevilha terminou hoje a Liga espanhola de futebol com uma goleada 5-0 ao despromovido Osasuna, numa 38.ª jornada na qual apenas falta decidir o título e a Liga Europa.

O extremo Vitolo (10 e 80) e os avançados argentino Vázquez (20 e 60) e montenegrino Stevan Jovétic (35) consumaram o resultado expressivo.

O Sevilha concluiu a liga no quarto lugar, que dá direito a discutir entrada na Liga dos Campeões, enquanto o Osasuna desce, por ter sido penúltimo.

Com Bruno Gama no banco, o Corunha venceu o Las Palmas, do titular Hélder Lopes, por 3-0, com tentos do avançado romeno Florin Andone (04 e 28) e Carles Gil (39): os galegos terminaram a época no 16.º e os ilhéus no 14.º, com mais três pontos.

O Sporting de Gijon, que já tinha a descida confirmada, despediu-se com empate caseiro 2-2 com o Bétis: Douglas Pereira (07) ainda lhe deu vantagem, mas golos de Rúben Castro (22 e 59) permitiram a reviravolta para os andaluzes, que viram Carlos Carmona (79) estabelecer a igualdade final.

Os asturianos terminaram a competição em 18.º e antepenúltimo lugar, enquanto o Bétis conclui com modesto 15.º.

O Leganés, que tinha conseguido sofrida permanência, empatou 1-1 com o Alavés, que se adiantou com golo do médio sérvio Nenad Krsticic (64), sendo que David Timor (89) igualou já perto do fim.

O Leganés concluiu a liga em 17.º, sendo o primeiro a evitar a descida, enquanto o Alavés é, provisoriamente, nono.

O título decide-se no domingo: o Real Madrid, que tem três pontos de vantagem, visita o Málaga, 11.º, enquanto o Barcelona recebe o Eibar, 10.º.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.