UEFA aprovou criação de nova competição europeia de clubes

| Futebol Internacional

|

A UEFA aprovou domingo a criação de uma terceira competição de clubes, que se junta à Liga dos Campeões e à Liga Europa, que deverá ser disputada por 32 clubes de países com menor representatividade no futebol europeu.

A nova competição vai arrancar na temporada 2021/22 e deverá, à semelhança da Liga Europa, ter 141 encontros, distribuídos por 15 jornadas, e ser jogada à quinta-feira.

A prova, cujo vencedor garante presença na Liga Europa, deverá ser disputada em oito grupos, de quatro equipas cada, seguindo-se fases a eliminar a partir dos oitavos de final.

Segundo a UEFA, será ainda jogada uma fase a eliminar adicional, que será jogada antes dos oitavos de final, entre as equipas classificadas no segundo lugar de cada grupo e os terceiros classificados das ‘poules’ de Liga Europa.

A UEFA pretende que as finais das três competições de clubes sejam jogadas na mesmo semana, devendo a da nova competição ser disputada na quarta-feira, a da Liga Europa na quinta, e a da Liga dos Campeões no sábado.

Segundo o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, “nasceu do constante diálogo com os clubes através da Associação Europeia de Clubes” e tornará “as competições de clubes da UEFA mais inclusivas do que nunca, com mais jogos para mais clubes e com mais federações representadas na fase de grupos”.

“Há uma crescente procura por todos os clubes de possibilidades de poderem jogar com mais regularidade nas competições europeias. Isto foi conseguido através de uma abordagem estratégica, em conjunto com o objetivo da UEFA de ter tanto mais qualidade como mais inclusividade nas nossas competições de clube”, disse.

O Comité Executivo da UEFA, reunido em Dublin, aprovou o formato da competição e a lista de acesso, devendo os detalhes da distribuição de verbas e sistemas de solidariedade, bem como o nome da competição, sistema de coeficientes e estratégia comercial ser finalizados durante 2019.

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    A enviada-especial da RTP foi à fronteira para perceber como se vive hoje entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.