Jonas fica de fora da segunda mão com o Fenerbahçe

| Futebol Nacional

O avançado continua a recuperar de uma cervicalgia.
|

O brasileiro Jonas é novamente ‘baixa’ nos convocados do Benfica para o jogo da segunda mão da terceira pré-eliminatória de acesso à Liga dos Campeões de futebol contra o Fenerbahçe, na terça-feira, na Turquia.

Um dia depois de confirmar a sua continuidade no clube da Luz, após semanas de especulação em torno de uma transferência para a Arábia Saudita, o avançado continua a recuperar de uma cervicalgia, lesão que já o impediu de ser opção para o técnico Rui Vitória no triunfo (1-0, golo de Cervi) da primeira mão.

Segundo o boletim clínico hoje divulgado no site oficial dos ‘encarnados’, mantêm-se também as indisponibilidades por lesão do médio croata Krovinovic e do lateral nigeriano Ebuehi.

Quanto à convocatória para o embate em Istambul, Rui Vitória decidiu chamar 21 jogadores. Em relação aos convocados para o jogo de sexta-feira com o Vitória de Guimarães (vitória por 3-2) saem o central Lema e o avançado Seferovic, entrando o guarda-redes Bruno Varela, o lateral Yuri Ribeiro e o avançado Castillo.

O desafio entre Fenerbahçe e o Benfica, referente à segunda mão da terceira pré-eliminatória de apuramento para a Liga dos Campeões, realiza-se na terça-feira, às 19:00.

Lista dos 21 convocados:

- Guarda-redes: Svilar, Bruno Varela e Odysseas.

- Defesas: Conti, Grimaldo, Rúben Dias, Yuri Ribeiro, Jardel e André Almeida.

- Médios: Fejsa, Cervi, Alfa Semedo, Zivkovic, Salvio, Pizzi, Samaris, Rafa, João Félix e Gedson.

- Avançados: Ferreyra e Castillo.

A informação mais vista

+ Em Foco

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

    Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

      O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

        Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.