Ministério Público confirma investigação por corrupção no desporto

| Futebol Nacional

Legenda da Imagem
|

O Ministério Público (MP) confirmou terça-feira à agência Lusa a existência de uma investigação sobre factos suscetíveis de configurarem o crime de corrupção no desporto, sem especificar.

A existência do processo, que corre no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Braga, foi confirmada em resposta à Lusa, por fonte oficial da Procuradoria-Geral da República (PGR), quando questionada sobre a investigação ao diretor-geral do FC Porto, Luís Gonçalves, hoje noticiada pelo jornal Correio da Manhã.

"No âmbito deste processo investigam-se factos suscetíveis de integrarem o crime de corrupção no fenómeno desportivo. O inquérito encontra-se em investigação, não tem arguidos constituídos e está sujeito a segredo de justiça", referiu a fonte da PGR.

Na sua edição de hoje, o Correio da Manhã dá conta de uma investigação ao dirigente portista por "corrupção ativa na atividade desportiva", acrescentado que o MP pediu documentação à Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

De acordo com o jornal, os documentos solicitados referem-se ao jogo entre FC Porto e Sporting de Braga (1-1), da edição 2016/17 da I Liga, após o qual Luís Gonçalves foi expulso pelo árbitro Hugo Miguel, por palavras dirigidas ao quarto árbitro, Tiago Antunes, assim como às classificações dos árbitros.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Federação Portuguesa de Futebol disse que o organismo não recebeu qualquer notificação sobre o assunto.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.