Dyego Sousa convocado para visita ao Hoffenheim

| Liga Europa

|

O treinador do Sporting de Braga, Abel Ferreira, convocou esta quarta-feira Dyego Sousa para a deslocação ao terreno dos alemães do Hoffenheim, na quinta-feira, da primeira jornada do Grupo C da Liga Europa de futebol.

O ponta-de-lança regressa, assim, às opções ‘europeias' de Abel Ferreira já que, nas competições nacionais, o brasileiro está castigado até meados de outubro.

André Horta e João Carlos Teixeira, dois dos últimos reforços dos minhotos, estreiam-se nas convocatórias para a Liga Europa, sendo que o técnico ‘arsenalista' leva ainda três guarda-redes para a Alemanha, tendo incluído Tiago Sá na lista.

Marafona, Tiago Pereira, Mauro e Wilson Eduardo continuam lesionados e continuam de fora.

Ao contrário do habitual, a equipa ‘arsenalista' não vai realizar o treino de adaptação ao relvado do estádio do adversário, tendo realizado um apronto hoje de manhã ainda em Braga.

Pelas 13:00, a comitiva do clube partiu para a Alemanha, onde, às 18:15 (hora portuguesa), Abel Ferreira e um jogador vão fazer, em conferência de imprensa, a antevisão da partida.

Sporting de Braga e Hoffenheim defrontam-se na quinta-feira, às 18:00, no Rhein-Neckar-Arena, em Sinsheim, jogo que será arbitrado pelo escocês Bobby Maden.

Lista dos 21 convocados:
- Guarda-redes:
Matheus, André Moreira e Tiago Sá
- Defesas: Ricardo Esgaio, Marcelo Goiano, Rosic, Raúl Silva, Bruno Viana, Jefferson e Sequeira
- Médios: Danilo, Xadas, Fábio Martins, Fransérgio, Vukcevic, André Horta e João Carlos Teixeira
- Avançados: Hassan, Ricardo Horta, Paulinho e Dyego Sousa

Tópicos:

Dyogo Souza, SC Braga, Abel Ferreira,

Pesquise por: Dyogo Souza, SC Braga, Abel Ferreira,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.