Espanha perdeu últimas duas estreias como campeã europeia em título

| Mundial 2018

|

A Espanha, em 2010 e 2014, e a França, em 2002, selaram o pleno de entradas a perder em campeonatos do mundo no século XXI dos campeões europeus em título, estatuto com que Portugal vai enfrentar no Mundial2018.

A formação das 'quinas' tentará, assim, precisamente face aos espanhóis, na sexta-feira, em Sochi, ser a primeira detentora do cetro europeu a conseguir uma estreia sem perder desde 1998, edição em que a Alemanha, 'rainha' do 'velho continente' em 1996, começou um com 2-0 aos Estados Unidos, em Paris.

Os espanhóis também perderam em 1966, tal como a RFA, em 1982, mas o balanço global das estreias dos campeões europeu em título é equilibrado -- cinco triunfos e cinco derrotas -, pois União Soviética (1962), Itália (1970), RFA (1974) e França (1986) também ganharam, enquanto a Holanda (1990) empatou.

A última imagem de um campeão da Europa em estreia é a mais 'penosa', já que, no Brasil, em 2014, a Espanha, então campeã mundial e bicampeã europeia em título, foi goleada por 5-1 pela Holanda, começando a escrever a 'queda' na fase de grupos.

A 'roja' até saiu na frente em Salvador, graças a um penálti convertido por Xabi Alonso, mas, depois, foi 'varrida' pelo 'vendaval' holandês, com Robin van Persie e Arjen Robben a 'bisar' e Stefan De Vrij também a faturar.

Em 2010, a Espanha já tinha tido uma estreia amarga, ao perder no primeiro jogo por 1-0 com a Suíça, vencedora com um tento de Gelson Fernandes, em Durban. Então, o 'onze' de Vicente Del Bosque reagiu e chegou ao seu primeiro título mundial.

A 'roja' já se tinha dado mal com o estatuto de campeã europeia em título muito antes, em 1966 - venceu o Europeu de 1964 -, então ao estrear-se com um desaire por 2-1 com a Argentina, por culpa de dois tentos de Luis Artime, contra um de Pirri.

Em 2002, a França protagonizou grande surpresa, ao perder por 1-0 com o estreante Senegal. Os africanos, que venceram com um tento de Bouba Diop, aos 30 minutos, chegariam aos quartos de final, fase em que caíram perante a Turquia, com um 'golo de ouro'.

A derrota dos gauleses, que não ganhariam qualquer jogo na Coreia do Sul e no Japão, não foi, ainda assim, a mais surpreendente de um campeão europeu em título na estreia num campeonato do Mundo, 'titulo' que pertence à RFA.

Em 1982, em Gijón, os germânicos, campeões europeus em 1980, eram claros favoritos face à Argélia, mas perderam incrivelmente por 2-1 com os africanos, vencedores com tentos de Madjer e Belloumi, contra um de Karl-Heinz Rummenigge.

Com a ajuda da Áustria, num jogo que ficou célebre pelas piores razões, que redundou numa conveniente vitória por 1-0, a RFA acabou por conseguir apurar-se para a fase seguinte e chegou à final, perdida para a Itália (1-3).

Os germânicos cederam em Espanha, mas ganharam nas outras duas estreias como campeões da Europa: 1-0 ao Chile, em 1974, em casa, com um tento de Paul Breitner, e 2-0 aos Estados Unidos, em 1998, com golos de Andreas Möller e Jürgen Klinsmann.

Os outros triunfos a abrir de campeões da Europa foram selados pela União Soviética, que em 1962 bateu a Jugoslávia por 2-0, com golos de Ivanov e Ponedelnik, a Itália, vencedora por 1-0 face à Suécia, em 1974, com um tento de Domenghini, e a França, que ganhou 1-0 ao Canadá em 1986, graças a Jean-Pierre Papin.

Em 1990, registou-se a única estreia com um empate de um campeão da Europa. Em Palermo, a Holanda adiantou-se, por Wim Kieft, mas, aos 83 minutos, Magdy Abdelghany, que então alinhava no Beira-Mar, restabeleceu a igualdade, de grande penalidade.

Em Destaque

Pub