PyeongChang2018: Hirscher é campeão olímpico, em dia com primeiro caso de doping

| Outras Modalidades

|

O austríaco Marcel Hirscher, por muitos considerado o melhor esquiador da atual geração, chegou, finalmente, ao título olímpico, num dia em que os Jogos de Inverno PyeongChang2018 tiveram o primeiro caso de doping.

Hirscher, de 28 anos, já levava no currículo seis títulos em Taças do Mundo, mas hoje chegou o momento que todos diziam que lhe faltava, o da consagração olímpica, ao vencer a prova de descida em esqui alpino, à frente dos franceses Alexis Pinturault (prata) e Victor Muffat Jeandet (bronze).

Em Sochi, há quatro anos, Hirscher contentou-se com o segundo lugar, atrás do seu compatriota Mario Matt.

A proeza de hoje coloca ainda Marcel Hirscher junto de esquiadores como os noruegueses Kjetil Andre Aamodt e Lasse Kjus e os norte-americanos Bode Miller e Ted Ligety, os únicos da história a juntarem os títulos mundiais do combinado, ao título olímpico.

“Todos esperavam que ganhasse a medalha de ouro. No meu país o esqui é algo muito importante e todos diziam: a tua carreira está a ser boa, mas falta-te o ouro olímpico”, disse no final o austríaco.

O dia em PyeongChang ficou, no entanto, marcado pelo primeiro caso de doping, a envolver o patinador japonês Kei Sato, da equipa de pista curta, e que o obrigou a abandonar as instalações da aldeia olímpica.

O Tribunal Arbitral do Desporto, deslocado para a cidade sul-coreana, à semelhança do que já fizera nos Jogos Olímpicos de verão no Rio2016, explicou que Sato “acusou positivo para acetalozamida, um produto diurético considerado mascarante, numa análise fora de competição”.

O japonês clama inocência e diz estar chocado com o resultado recolhido de uma análise feita em 04 de fevereiro, já na aldeia olímpica.

Entretanto, na competição o dia foi de glória para a jovem norte-americana, de origem sul-coreana, Chloe Kim, que chegou ao título olímpico aos 17 anos, sem ter que esperar tanto quanto Kirscher.

Kim venceu a prova de half pipe, de snowboard, na sua primeira participação olímpica, levando ao delírio não só os adeptos norte-americanos, mas também os locais, devido à sua ascendência. Em Sochi tinha apenas 13 anos e era inelegível para competir, devido à idade.

A snowboarder tem longo caminho pela frente e os Jogos de Pequim2022 já prometem muito, à semelhança do futuro que pode esperar o norueguês Johannes Klaebo, que hoje, aos 21 anos, venceu a prova de esqui de fundo (sprint individual), o mais jovem a fazê-lo, superando o registo do sueco Gunde Svan (22 anos), nos Jogos de 1984.

Finalmente, o dia que deu ainda títulos a Natalie Geisenberger (Luge), Kjeld Nuis (1.500, patinagem de velocidade), Arianna Fontana (500 metros, pista curta) e Stina Nilsson (esqui de fundo), também deu ao Canadá o primeiro ouro olímpico de curling misto, uma nova variante nos Jogos.

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.