Rali de Portugal: Marco Reis estável e sem fraturas após acidente

| Rali de Portugal

Legenda da Imagem
|

O português Marco Reis (Skoda Fabia R2) foi hoje hospitalizado na sequência do acidente sofrido na 10.ª especial do Rali de Portugal, em Vieira do Minho.

Rali de Portugal: Marco Reis estável e sem fraturas após acidente

Braga, 20 mai (Lusa) - O português Marco Reis (Skoda Fabia R2) foi hoje hospitalizado na sequência do acidente sofrido na 10.ª especial do Rali de Portugal, em Vieira do Minho.

"Obrigado a todos pelas várias mensagens e telefonemas de apoio, eu estou bem não tenho nada partido", escreveu o piloto, na sua página na rede social Facebook.

De acordo com a assessoria de comunicação da prova, o acidente de Marco Reis ocorreu aos 12,96 quilómetros da primeira classificativa do terceiro dia, e o piloto foi aerotransportado para o hospital de Braga, por suspeitas de traumatismo na bacia, enquanto o navegador, Nuno Carvalhosa, ficou ileso.

Fonte da unidade de saúde disse à agência Lusa que Marco Reis, que ocupa o 25.º lugar do Nacional com dois pontos, está estável, sob vigilância e a efetuar exames para diagnosticar a dimensão das lesões.

Reis partiu hoje para o terceiro dia do Rali de Portugal na 48.ª posição da geral, a 40.33,4 minutos do então líder, o estónio Ott Tänak (Ford Fiesta), sendo o 11.º português entre os 16 que alinharam em Vieira do Minho.

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.