Adrien Silva promete Portugal ao melhor nível para vencer Rússia

| Seleção Nacional

O médio português Adrien Silva afirmou hoje que a seleção portuguesa de futebol, campeã europeia, vai ter de estar ao melhor nível frente à Rússia, na quarta-feira, para conseguir a primeira vitória na Taça das Confederações.

"Vamos em busca da primeira vitória, sabemos que vai ser um jogo bastante complicado perante o público deles -- vão ter um apoio muito forte --, mas temos capacidade para contrariar", afirmou o capitão do Sporting, em declarações à assessoria da Federação Portuguesa de Futebol.

A equipa das `quinas` defronta a anfitriã Rússia, na quarta-feira, em Moscovo, na segunda jornada do Grupo A da competições, depois de se ter estreado no domingo, em Kazan, com um empate frente ao México (2-2).

"Portugal entra sempre para ganhar, não o fizemos no primeiro jogo, apesar de termos feito o necessário para o conseguir. Agora, não adianta pensar neste resultado, mas sim focarmo-nos no que temos de fazer contra a Rússia, que é ganhar", frisou.

O médio `leonino` disse também esperar dificuldades no jogo de encerramento do grupo, diante da Nova Zelândia, no sábado, em São Petersburgo.

"Ambas as equipas têm qualidade e são bem organizadas, sabemos que temos de estar ao nosso melhor nível para as contrariar", rematou.

Após a primeira jornada, a Rússia lidera o agrupamento, com três pontos, graças à vitória por 2-0 frente aos neozelandeses, enquanto Portugal e México seguem no segundo posto, com um ponto.

 

Tópicos:

Taça,

Pesquise por: Taça,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Filipe Vasconcelos Romão, comentador de assuntos internacionais, refere que o artigo 155 da Constituição Espanhola será aplicado sem que haja qualquer lei de enquadramento.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Em entrevista à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o ministro do Trabalho e da Segurança Social considera que a apresentação da moção de censura não vai trazer mudanças significativas.