Florentino diz que seleção sub-19 vai dar o melhor no Europeu

| Seleção Nacional

O médio Florentino assegurou hoje que a seleção portuguesa de futebol de sub-19 vai dar o seu melhor no Europeu da categoria, mas rejeitou favoritismos, depois do segundo lugar alcançado em 2017.

“São anos diferentes. Vamos focados no presente. Temos vários objetivos que passam todos por ganhar cada jogo. A nossa classificação vai ser um reflexo do que fizermos em cada encontro apesar de também desejarmos a qualificação para o Mundial sub-20”, disse o jogador em declarações à assessoria de imprensa da Federação Portuguesa de Futebol.

O jogador do Benfica fez um balanço muito positivo do estágio que a equipa orientada por Hélio Sousa está a realizar, tendo em vista o Europeu, que se disputa na Finlândia, entre 15 e 29 de julho, e disse estar confiante numa boa prestação lusa.

“Temos expetativas positivas e estamos bem cientes dos nossos objetivos. Vamos pensar jogo a jogo e estamos a trabalhar bem. Estamos confiantes e a integrar os jogadores mais novos neste grupo da melhor forma possível”, disse.

Em relação aos adversários, da primeira fase da competição, Florentino elegeu o mais complicado, preferindo destacar as qualidades de cada um.

“A Noruega é uma equipa muito forte e combativa. Também sabemos que na Ronda de Elite deixaram pelo caminho seleções como a Holanda e a Alemanha. A Itália é um adversário que toda a gente conhece e que tem sempre gerações de grande qualidade. É um adversário que causa sempre enormes expetativas pelo seu valor. A Finlândia é a equipa da casa e o apoio do público pode sempre servir de motivação”, referiu.

A seleção portuguesa vai realizar um treino diário até 11 de julho, dia em que vai partir para a Finlândia.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.