Rúben Amorim espera ganhar ao Young Boys

por RTP

Foto: Peter Schneider - EPA

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, fez a antevisão do jogo entre Sporting e Young Boys, da segunda mão do play-off de acesso aos “oitavos” da Liga Europa, que se realiza na quinta-feira, a partir das 20h00, no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

O técnico começou por responder ao que espera do Young Boys, que tem desvantagem de dois golos? Sporting vai manter a identidade? Espera ultrapassar a marca de treinador com mais jogos pelo Sporting?

"Espero vencer amanhã. Temos que ganhar títulos para sermos treinadores desse nível, esse é o objetivo. Neste momento vamos estar no 2.º lugar e depois logo vemos o próximo passo. Espero um jogo muito difícil. Não apostamos nas transições nem no ataque organizado, aproveitamos o que o adversário nos dá. Olhando para o Young Boys, se eles pressionaram o Manchester City, vão pressionar o Sporting. Têm de marcar golos, assim como nós. Marcando um golo, ajuda muito no desenrolar do jogo. Acho que vão mudar algumas peças, Elia poderá jogar de início, Monteiro também. Isso muda a forma de atacar do adversário. Teremos também de fazer alguma rotação. É um jogo perigoso, não há vantagem dos golos fora. Está em aberto, mas estamos em vantagem pelo que mostrámos na Suíça, por jogarmos com os nossos adeptos e no nosso relvado. Vamos ter de sofrer de e correr muito".

Sporting tem evoluído defensivamente nos últimos jogos. Será que Rúben Amorim sente que nesta fase da época encontrou o equilíbrio certo? Eis a resposta:

"Os números dizem isso, mas temos que olhar para as estatísticas e para o jogo em si. Desde o início da época, mesmo sofrendo golos, os adversários não tinham muitas oportunidades. O Portimonense, por exemplo, não teve oportunidades mas teve uma bola isolada e isso aumenta o algoritmo. O que vejo é que as equipas rematam menos e isso já vem do início da época. Claro que agora somos mais fortes, quer em bolas paradas também. Encontrámos um equilíbrio grande, estamos a sofrer pouco há alguns jogos e estamos mais perto de vencer porque marcamos sempre algum. Diria que estamos num bom momento, mas um resultado muda tudo. A nossa confiança pode ser abalada como na Allianz Cup, quando sofremos muito. Estamos sempre de pé atrás mas preparados para todos os jogos."

O treinador abordou a ausência de Paulinho e respondeu sobre se Gyökeres vai ser titular e jogar os 90 minutos:

"O Paulinho não está apto e não sei quando vai voltar. Não está agora, não vai estar com o Rio Ave e não sei o desenrolar da recuperação dele. Não conta por agora. O Viktor está pronto porque no Championship também tinham jogos sucessivos. Corre muito, mas entre esforços pode recuperar. Tudo isso está pensado na nossa equipa. Não temos muitas soluções para a frente, temos mais na defesa, e portanto todos têm de estar preparados para jogar de três em três dias. O Viktor não gosta de sair, mas se tiver de sair, vai sair. Vamos preparar os jogos e recuperar da melhor maneira".

Finalmente Fevereiro é o mês com mais jogos. Será que o treinador sente que é o mês decisivo?


"Para a Liga Europa é sempre decisivo. Amanhã é decisivo, podemos passar ou não passar e fica já decidido. Em relação ao campeonato, é sempre importante mas decisivo não vai ser. Há muito campeonato, mas é um momento importante, até porque os campeões ultimamente não perdem muitos pontos em Portugal. Decisivo é a Taça de Portugal, que se decide em duas mãos. Mas sim, é um mês muito importante até pelo pouco tempo de recuperação".
pub