FC Porto recebe Chaves na entrada em cena dos `grandes` na Taça da Liga

| 1.ª Liga

|

O FC Porto dá hoje o ‘pontapé de saída’ na terceira fase da Taça da Liga em futebol, com a receção ao Desportivo de Chaves, no momento em que entram em competição os quatro primeiros do campeonato anterior.

No jogo com início marcado para as 20:30, no Estádio do Dragão, é possível que o treinador Sérgio Conceição poupe alguns dos habituais titulares, sendo que não poderá contar com os lesionados Soares e Aboubakar.

Em 17 visitas ao FC Porto, uma para a Taça de Portugal e as restantes em jogos do campeonato, a equipa do Desportivo de Chaves perdeu sempre.

O FC Porto é o primeiro ‘grande’ a entrar em cena, com o detentor do troféu, o Sporting, a jogar apenas no domingo, dia em que recebe o Marítimo (20:00), enquanto o Benfica, recordista de vitórias na Taça da Liga, com sete em 11 edições, joga no sábado em casa com o Rio Ave (18:00).

A terceira fase da competição conta com quatro grupos de quatro equipas, com FC Porto, Benfica, Sporting e Sporting de Braga em grupos distintos. Os vencedores dos agrupamentos seguem para a ‘final four’, marcada para Braga.

No Grupo A, encontram-se Benfica, Desportivo das Aves, Rio Ave e Paços de Ferreira, no B, Sporting de Braga, Vitória de Setúbal, Tondela e Nacional, no C, FC Porto, Belenenses, Varzim e Desportivo de Chaves e, no D, Sporting, Feirense, Marítimo e Estoril Praia.

Nas meias-finais, o vencedor do Grupo A defronta o primeiro do Grupo C e a equipa que triunfar no B encontrará a vencedora do D.

Taça da Liga - 1.ª jornada da 3.ª fase:

- Sexta-feira, 14 set:

FC Porto – Desportivo de Chaves, 20:30.

- Sábado, 15 set:

Paços de Ferreira – Desportivo das Aves, 15:30.

Benfica – Rio Ave, 18:00.

Sporting de Braga – Tondela, 20:30.

- Domingo, 16 set:

Nacional – Vitória de Setúbal, 15:00.

Varzim – Belenenses, 17:30.

Sporting – Marítimo, 20:00.

- Segunda-feira, 17 set:

Estoril Praia – Feirense, 20:15.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.