Ivo Oliveira sagra-se campeão de sub-23 de contrarrelógio

| Ciclismo

|

O ciclista Ivo Oliveira sagrou-se hoje campeão português de sub-23 de contrarelógio, superiorizando-se a João Almeida, seu colega de equipa na Hagens Berman Axeon, em Belmonte.

Na sua última oportunidade de ser campeão nesta categoria, Ivo Oliveira cumpriu os 24,1 quilómetros em 31.35 minutos, menos 28 segundos do que João Almeida e 1.51 minutos do que Tiago Antunes (Aldro).

"Estou bastante emocionado, era um título que já procurava há quatro anos. No ano passado, parti o braço a duas semanas do 'crono' e não pude correr. Esta era a última oportunidade e conseguir vencer, é um sentimento espetacular, sem dúvida", assumiu.

Vice-campeão mundial de perseguição em 2018, na vertente de pista, Ivo Oliveira diz que hoje ficou provado que não faz "só corridas de quatro quilómetros de perseguição", mas também faz "bons contrarrelógios".

"Fico feliz com a minha prestação e com a do meu colega de equipa [João Almeida] também", referiu.

Recente segundo classificado na Volta a Itália de sub-23, João Almeida diz que esta prova "foi muito dura".

"Mas estou contente com a minha prestação. Acho que o Ivo mereceu esta vitória e fica muito bem esta camisola [de campeão]", afirmou.

No sábado, os dois ciclistas da Hagens Berman Axeon, que terão a companhia de Rui Oliveira, vão tentar conquistar a prova de fundo, com João Almeida a dizer que são três mais conseguem "valer por mais".

"Sabemos que somos poucos, somos três, mas estamos unidos, estamos os três bem fisicamente e por isso vamos dar tudo para vencer. Não importa se sou eu o Rui ou o João. Somos da mesma equipa. Vamo-nos ajudar mutuamente para chegarmos à vitória", disse Ivo Oliveira.

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.