Centenas de pessoas passam pelo Centro Cultural português de Díli para ler os Lusíadas

por Lusa

Centenas de timorenses e portugueses passaram hoje pelo Centro Cultural Jorge Sampaio, em Díli, para participar numa maratona a ler os "Lusíadas" para assinalar os 500 anos do nascimento de Luís de Camões.

Durante várias horas, estudantes, professores, jornalistas, cooperantes foram ao palco do centro cultural ler o poema épico que conta as aventuras e desventuras da época das navegações e que é um dos mais famosos livros da literatura portuguesa.

"Foi muito interessante porque desfilaram não só pessoas ligadas aos nossos projetos de cooperação, que seria expectável, que quisessem participar, mas também escolas públicas do sistema público timorense, sobretudo alunos e professores, mas foi muito agradável constatar como as pessoas conseguem ler, com alguma destreza, mais nuns casos que noutros, mas os Lusíadas que não são propriamente um texto muito fácil", afirmou à Lusa a embaixadora de Portugal em Díli, Manuela Bairos.

A Embaixada de Portugal em Díli vai continuar a assinalar o nascimento de Camões durante os próximos dois anos, tendo hoje também um concurso de banda desenhada aberto a todos os alunos, desde o pré-escolar até ao universitário.

"O concurso vai decorrer durante os meses de setembro e outubro. Os resultados anunciados em novembro, e depois haverá mais iniciativas naturalmente", explicou a embaixadora.

Em relação à iniciativa de hoje, Manuela Bairos salientou que é "simples, mas muito meritória", porque envolveu muita gente.

"Mesmo que as pessoas não consigam ler os Lusíadas e compreender a complexidade do poema, mas sabem que o poema existe, vieram ler e se calhar até vão ter a curiosidade de ver mais", acrescentou.

As celebrações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades em Timor-Leste foram assinaladas no sábado em Liquiçá, a cerca de 30 quilómetros de Díli, e contaram com a presença da ministra da Justiça, Rita Alarcão Júdice.

 

 

Tópicos
pub