Derlei espera resultado positivo do FC Porto no Mónaco

| Liga dos Campeões

Derlei confia numa boa prestação do FC Porto frente ao Mónaco esta terça-feira
|

O antigo jogador do FC Porto revelou na Antena 1 que um empate dos “dragões” no Mónaco não é um mau resultado.

FC Porto e Mónaco defrontam-se esta terça-feira, no Principado, a partir das 19h45, em jogo da segunda jornada do Grupo G, da fase de grupos da Liga dos Campeões.

O antigo avançado dos azuis e brancos integrava a equipa portista que em 2004 venceu o Mónaco por 3-0, na final da Liga dos Campeões, a 26 de maio, em Gelsenkirchen.

Treze anos depois Derlei, em declarações ao jornalista Nuno Matos, fez a antevisão do jogo desta noite nos seguintes termos: “O Mónaco é forte, o atual campeão francês, e em jogos da ‘Champions’ não se pode errar. O FC Porto precisa de recuperar da derrota na primeira jornada e um empate não será um mau resultado”.



Sobre o jogo, em si, o antigo dianteiro admitiu que poderá ser um jogo equilibrado e acrescentou: “O FC Porto irá sofrer uma grande pressão no início do jogo e a começar a segunda parte mas apesar desse assédio poderá fazer um bom resultado”.



Derlei debruçou-se ainda sobre a importância dos dois treinadores à frente das equipas.

Para o brasileiro Leonardo Jardim montou uma equipa do Mónaco à sua imagem e conhece-a como ninguém, com João Moutinho a pontificar no meio-campo.

A propósito de Sérgio Conceição reconheceu que já mostrou que é capaz de levar o FC Porto às vitórias e até ao momento tem feito um trabalho imaculado.

Na hora de recordar o confronto de 2004 entre as duas equipas Derlei lembrou o dia especial que os portistas viveram e classificou aquela equipa dos “dragões” como uma das melhores de sempre do clube.

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.