Jonathan Rea vence segunda corrida de Superbike e faz a `dobradinha` em Portimão

| Motos

|

O britânico Jonathan Rea (Kawasaki) venceu hoje a segunda corrida de motociclismo do Grande Prémio de Portugal de Superbike, 10.ª ronda do Mundial, e repetiu a proeza de 2017 ao fazer a ‘dobradinha’, no Autódromo do Algarve.

Em Portimão, Rea partiu do nono lugar da grelha, mas conseguiu ganhar seis posições à entrada para a segunda curva, tendo cumprido as 20 voltas ao circuito em 34.25,661 minutos, à frente do holandês Michael Van Der Mark (Yamaha) que foi segundo, e reforçou a liderança no Mundial de pilotos.

O tricampeão em título bateu Van Der Mark por 1,189 segundos, alcançando o seu sétimo triunfo no circuito algarvio e o 12.º no campeonato, que lidera com 420 pontos em 20 corridas realizadas.

O italiano Marco Melandri (Ducati) fechou o pódio em Portimão, com o terceiro lugar, a mais de dois segundos de Rea.

Jonathan Rea que se manteve durante três voltas na terceira posição atrás dos seus compatriotas Chaz Davies (Ducati) e Tom Sykes (Kawasaki), assumiu a liderança da corrida a nove voltas do final, aproveitando um ‘deslize’ dos homens da frente para conseguir a ‘dobradinha’ no Algarve.

Rea, três vezes campeão mundial (2015, 2016 e 2017) passou a ter 116 pontos de vantagem no topo do campeonato sobre o seu compatriota da Ducati Chaz Davies (304), quarto na corrida, e mais 136 que o terceiro, o holandês Michael Van Der Mark (284).

O Grande Prémio de Portugal de Superbike recebeu cerca de 60 mil pessoas durante os três dias do evento, segundo disse à agência Lusa Paulo Pinheiro, diretor do Autódromo Internacional do Algarve.

A 11.ª ronda do Mundial de Superbike vai decorrer entre 28 e 30 de setembro, no circuito de Magny-Cours, em França.

Resultados do Grande Prémio de Portugal:

- Sábado:

- Primeira corrida (20 voltas):

1. Jonathan Rea, Gbr (Kawasaki), 34.22,331 minutos.

2. Marco Melandri, Ita (Ducati), a 1,575 segundos.

3. Michael Van Der Mark, Hol (Yamaha), a 4,215.

4. Chaz Davies, Gbr (Ducati), a 10,760.

5. Tom Sykes, Gbr (Kawasaki), a 12,911.

6. Loris Baz, Fra (BMW), a 19,685.

7. Jordi Torres, Esp (MV Augusta), a 21, 974.

8. Toprak Razgatlioglu, Tur (Kawasaki), a 24,855.

9. Michael Rinaldi, Ita (Ducati), a 30,302.

10. Alex Lowes, Gbr (Yamaha), a 32,408.

- Domingo:

- Segunda corrida (20 voltas):

1. Jonathan Rea, Gbr (Kawasaki), 34.25,661 minutos.

2. Michael Van Der Mark, Hol (Yamaha), a 1,189 segundos.

3. Marco Melandri, Ita (Ducati), a 2,813.

4. Chaz Davies, Gbr (Ducati), a 4,594.

5. Tom Sykes, Gbr (Kawasaki), a 4,834.

6. Lorenzo Savadori, Ita (Aprilia), a 11,417.

7. Eugene Laverty, Irl (Aprilia), a 11,732.

8. Michael Rinaldi, Ita (Ducati), a 12,507.

9. Loris Baz, Fra (BMW), a 12,741.

10. Xavi Fores, Esp (Ducati), a 18,973.

Classificação:

- Mundial de Pilotos, após a 10.ª ronda:

1. Jonathan Rea, Gbr (Kawasaki), 420 pontos.

2. Chaz Davies, Gbr (Ducati), 304.

3. Michael Van Der Mark, Hol (Yamaha), 284.

4. Tom Sykes, Gbr (Kawasaki), 240.

5. Marco Melandri, Ita (Ducati), 229.

6. Alex Lowes, Gbr (Yamaha), 204.

7. Xavi Fores, Esp (Ducati), 170.

8. Eugene Laverty, Irl (Aprilia), 122.

9. Toprak Razgatlioglu, Tur (Kawasaki), 108.

10. Loris Baz, Fra (BMW), 103.

Mundial de Marcas:

1. Kawasaki, 445 pontos.

2. Ducati, 372.

3. Yamaha, 318.

4. Aprilia, 163.

5. Honda, 120.

6. BMW, 103.

7. MV Augusta, 92.

8. Suzuki, 03.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.