Miguel Oliveira segundo no GP Áustria e perde liderança no Mundial de Moto2

| Motos

Legenda da Imagem
|

O piloto português Miguel Oliveira, aos comandos de uma KTM, foi hoje segundo classificado no Grande Prémio da Áustria de Moto2, e perdeu a liderança do Mundial de motociclismo de velocidade após 11 provas.

Foi uma corrida quase perfeita do piloto de Almada, de 23 anos, que partiu do segundo lugar da grelha de partida, mas assumiu logo no arranque a liderança da prova com a ultrapassagem ao rival italiano Francesco Bagnaia. Era o primeiro sinal do enorme duelo que ambos iriam travar no circuito austríaco de Spielberg.

Depois do triunfo na semana passada no Grande Prémio da República Checa, Miguel Oliveira entrava assim da melhor forma e a mostrar que estava na Áustria para defender a primeira posição no Mundial de Moto2. À entrada para a 11.ª prova, o português somava 166 pontos, mais dois do que o transalpino.

‘Pecco’ Bagnaia chegou até a cair para o terceiro posto nas primeiras voltas, mas fez uma corrida em crescendo, recuperou a segunda posição e lançou um longo ataque a Oliveira. Sempre na liderança, o português conseguiu resistir às tentativas do italiano, mesmo com este a reduzir progressivamente a diferença de tempo.

A pressão do corredor da Kalex sobre o piloto da KTM intensificou-se nas últimas quatro voltas, com o transalpino a roubar esporadicamente a liderança e o português a corrigir logo na curva seguinte.

Foi assim até à última volta, na qual Bagnaia aproveitou uma travagem mais larga de Oliveira e conseguiu ultrapassar por dentro no derradeiro instante para alcançar a sua quinta vitória da época. A fechar o pódio este domingo esteve o italiano Luca Marini, também da Kalex.

“É chato perder assim. Foi uma grande batalha, deixei tudo na pista. Sabia que ele estava mais forte no terceiro setor”, confessou o piloto luso logo após a corrida, e que, apesar da frustração, disse estar “muito feliz” e otimista: “As coisas estão a correr bem e iremos conseguir voltar [a ganhar] nas próximas corridas”.

Já ‘Pecco’ Bagnaia não escondeu a satisfação pela forma como assegurou a vitória na Áustria e vincou a importância de ter ido “ao limite” para superar o opositor português da KTM.

“Quando me aproximei do Oliveira, fui ao limite colado ao seu pneu traseiro. Fomos muito rápidos neste fim de semana”, sublinhou o piloto da equipa Sky Racing VR46.

Com este triunfo, Bagnaia ‘roubou’ a liderança do Mundial de Moto2 a Miguel Oliveira, passando a somar 189 pontos, mais três do que o piloto português (186). O Mundial de Moto2 regressa daqui a duas semanas, com o Grande Prémio da Grã-Bretanha, no circuito de Silverstone, a 26 de agosto.

Jorge Lorenzo vence na Áustria e Márquez reforça liderança do mundial de MotoGP

O espanhol Jorge Lorenzo (Ducati) venceu hoje o Grande Prémio da Áustria, 11.ª ronda do Campeonato do Mundo de motociclismo, à frente do seu compatriota Marc Márquez (Honda), que foi segundo e reforçou a liderança em MotoGP.

Em Spielberg, Lorenzo bateu Márquez por apenas 0,130 segundos e subiu ao lutar mais alto do pódio, somando a terceira vitória da temporada. O italiano Andrea Dovizioso, também da Ducati, fechou o top 3.

Márquez, quatro vezes campeão mundial, passou a ter 59 pontos de vantagem no topo do campeonato, já que o italiano Valentino Rossi (Yamaha), seu principal perseguidor, foi apenas sexto classificado.

Com o triunfo, Lorenzo subiu ao terceiro lugar do mundial e colocou-se a 71 pontos do líder.

A 12.ª ronda está agendada para 26 de agosto com o Grande Prémio da Grã-Bretanha, no circuito de Silverstone.


A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.

        Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.