Bruno de Carvalho diz que aprendeu com erros e lições do passado

| Sporting

Legenda da Imagem
|

Bruno de Carvalho afirmou hoje ter aprendido com os erros do passado e que isso lhe confere otimismo para o futuro, no seu manifesto para as eleições do Sporting, depois de ter sido destituído da presidência do clube.

“Sou candidato porque aprendi com os erros e lições do passado, erros e lições que me dão força e motivação para encarar com mais otimismo o futuro”, lê-se no documento hoje divulgado, no qual justifica a sua candidatura às eleições de 08 de setembro.

Neste manifesto, Bruno de Carvalho, que presidiu ao clube entre 2013 e 23 de junho último, diz que “não podia ignorar o apelo que tantos e tantos sócios fizeram” para avançar, a fim de “defender o projeto”.
Bruno de Carvalho, num vídeo em direto, disse que as duas últimas semanas foram de "muita reflexão" e que recebeu "milhares de mensagens de apoio e incentivo".
“Sou candidato porque só eu posso garantir-vos, sem receios ou falsa modéstia, que a SAD continuará a ser detida maioritariamente pelo clube e, desta forma, controlada pelos sócios”, frisou, reiterando a aposta num clube eclético, “faminto de ambição”, para “repetir a última época das modalidades”.

Agradecendo a quem o acompanhou no clube, Bruno de Carvalho acrescenta contar com “pessoas alinhadas com os ideais do Sporting e capazes de defender e realizar as medidas contidas” no programa e “manter o clube no rumo certo”.

“Sou candidato porque amo e vivo intensamente o Sporting Clube de Portugal. Sou candidato porque honro e sou leal ao Sporting Clube de Portugal”, rematou.

Para as eleições de 08 de setembro, são conhecidas as candidaturas de Bruno de Carvalho, Frederico Varandas, Fernando Tavares Pereira, Pedro Madeira Rodrigues e Dias Ferreira.

Bruno de Carvalho anuncia candidatura à presidência
Bruno de Carvalho anunciou hoje a sua recandidatura à presidência do Sporting, depois de ter sido destituído da liderança em assembleia geral a 23 de julho.

"Decidimos de novo enfrentar a vontade dos sócios, com a esperança de continuarmos num rumo, num caminho, de continuarmos fiéis. A 08 de setembro, contamos com todos os sportinguistas", disse, num vídeo em direto na sua página na rede social Facebook.

No início da mensagem, Bruno de Carvalho disse que as duas últimas semanas foram de "muita reflexão" e que recebeu "milhares de mensagens de apoio e incentivo".

O antigo presidente considerou que foi feito um "trabalho árduo" nos últimos cinco anos, que "permitiu reerguer um clube que estava resignado, mas que neste momento se transformou de novo na maior potência desportiva nacional".

"As últimas duas semanas mostram o caminho a ser interrompido e a voltar a um passado que os sportinguistas não pretendem. Voltar para trás não pode ser o caminho. Temos de continuar a trilhar o caminho do sucesso", referiu.

Bruno de Carvalho, que reforçou que "é fundamental manter o Sporting na mão dos sportinguistas", marcou ainda uma conferência de imprensa para quarta-feira, às 20:00, numa unidade hoteleira em Lisboa.

Na sequência da destituição de Bruno de Carvalho, decidida pela maioria dos sócios reunidos em assembleia geral em 23 de junho, tinham surgido já outros quatro candidatos às eleições de 08 de setembro: Frederico Varandas, Fernando Tavares Pereira, Pedro Madeira Rodrigues e Dias Ferreira.

Até às eleições, o Sporting é liderado por uma comissão de gestão presidida por Artur Pereira Torres, que designou José Sousa Cintra para o comando da SAD.

O antigo presidente contratou José Peseiro para treinador da equipa principal.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.