Cheias na China fazem 18 mortos e 18 desaparecidos

Pelo menos 18 pessoas morreram e 18 desapareceram na sequência da tempestade que atingiu a cidade de Qinshanao na província de Hunan, no centro do país, noticiou hoje a agência oficial chinesa Nova China.

As onze horas de chuvas contínuas na cidade no distrito de Longhui provocaram enxurradas e aluimentos de terra, destruindo quinze casas e fazendo 14 feridos, referiu a Nova China.

As chuvas de verão provocam todos os anos na China cheias e destruição na parte sul do país, que causam centenas de mortos e elevadas perdas económicas.

Na semana passada, 21 pessoas morreram e outras 200 mil pessoas foram obrigadas a abandonar as suas casas na região autónoma chinesa de Guangxi, vizinha de Hunan, onde as chuvas afectaram cerca de 4,6 milhões de pessoas.

Desde Maio, as províncias de Fujian, Guangdong e Guizhou, no sul do país, têm sido fustigadas por tufões, inundações e aluimentos de terra, que causaram mais de 200 mortos.

Em 1998, a enchente do rio Yangtse provocou a morte de cerca de 4.000 pessoas e afectou dezenas de milhões de pessoas, num dos piores desastres naturais da última década.

  • .Corrigir
  • .Leia-me
  • .Imprimir
  • .Enviar
  • .Partilhar
  • .Aumentar
  • .Diminuir

Últimas Notícias