Três ex-guerrilheiros da Renamo morrem em condições sanitárias "deploráveis" na sede do partido em Nampula

Pelo menos três ex-guerrilheiros da Renamo morreram de doença na sede do partido moçambicana em Nampula, onde dezenas de pessoas permanecem desde dezembro amontados em condições sanitárias "deploráveis", disse hoje à Lusa um responsável pelo Fórum das Confissões Religiosas daquela província.

Desde finais do ano passado, um grupo de antigos guerrilheiros da Renamo, alguns dos quais armados, está a viver na sede em Nampula do principal partido de oposição moçambicano, no norte do país, supostamente para proteger as manifestações que ameaça realizar contra o que considera uma governação antidemocrática da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), no poder.

Em declarações hoje à Lusa, o coordenador do Fórum das Confissões Religiosas de Nampula, Issufo Ossufo, denunciou a morte de alguns militantes da Renamo, mas admitiu a possibilidade de terem morrido "muito mais do que três" pessoas. "Eles morrem por vários doenças, porque estão sujeitos a deficitário saneamento de meio", considerou o responsável, que descreveu a situação sanitária no local como "deplorável".

Segundo Issufo Ossufo, os "cerca de 200" militantes da Renamo, que se encontram concentrados nas instalações do partido na rua dos Sem Medo, do bairro de Muatala, em Nampula, "fazem necessidades fisiológicas nas imediações e, algumas vezes, lançam as fezes para casas vizinhas".

Issufo Ossufo, que é igualmente secretário-executivo da Confraria Muçulmana Cadria Bandad em Nampula, disse que "a presença destes homens está a criar medo na população" local, pelo que os religiosos estão a tentar contactar, sem sucesso, o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, para falar sobre o assunto.

"Nós como religiosos tentamos um encontro com o líder da Renamo. Estamos dispostos a dar alguma contribuição em comida ou ajudar esses homens a voltarem para as suas casas, mas ele (Afonso Dhlakama) não nos abre a porta", contou Issufo Ossufo.

Na terça-feira, o porta-voz da Renamo, Fernando Mazanga, disse aos jornalistas, em Maputo, que a presença dos desmobilizados da Renamo em Nampula, nas suas instalações, "é assunto exclusivo da Renamo".

Fernando Mazanga avisou que o seu partido vai retaliar contra um eventual ataque da polícia às instalações da delegação do partido, acusando o Governo de estar a preparar uma ação contra os ex-guerrilheiros, alguns dos quais armados.

TAGS:Confissões Religiosas, Confraria Muçulmana Cadria Bandad, Issufo Ossufo, Libertação, Muatala, Renamo,

  • .Corrigir
  • .Leia-me
  • .Imprimir
  • .Enviar
  • .Partilhar
  • .Aumentar
  • .Diminuir