A primeira taça da Liga das Nações é de Portugal

por Marcos Celso - RTP
Legenda da Imagem EPA

A Holanda entrou a jogar no erro da equipa portuguesa, pressionando alto. Cristiano Ronaldo, pela esquerda, ia espreitando a baliza "laranja", jogava e dava a jogar. Mas foi um "petardo" de Gonçalo Guedes rumo às redes holandesas a dar o troféu da Liga das Nações a Portugal.

A Holanda entrou a jogar no erro da equipa portuguesa, pressionando alto, o que obrigou a um jogo mais cauteloso por parte da equipa das "quinas". Mesmo assim, ao passar da meia-hora pertenceram a Portugal duas jogadas rápidas de contra-ataque que podiam ter dado o golo inaugural. Valeu na baliza Cillessen, muito atento.

Cristiano Ronaldo, pela esquerda, ia espreitando a baliza "laranja", jogava e dava a jogar em tentativas que acabavam em remates de Portugal, embora sem sucesso. Estava, por esta altura, bem melhor a equipa de Fernando Santos.

No segundo tempo, Portugal respondeu bem a um maior atrevimento dos holandeses. Em quatro cantos houve perigo na área de Cillessen. Mesmo assim, Rui Patrício teve de se empenhar em dois lances perigosos.

Perto dos 60', jogada rápida, Bernardo Silva passa a Gonçalo Guedes com Ronaldo por perto. E quando a defesa holandesa esperava um passe para o madeirense, Guedes lançou um "petardo" rumo às redes holandesas. Estava feito o 1-0 no Dragão.
 
Um momento inesquecível para a seleção de Portugal, que vislumbrava a conquista do seu segundo título internacional, depois do Europeu de 2016. No relato da Antena 1, com Fernando Eurico, as emoções vieram ao de cima quando a bola Guedes fuzilou as redes holandesas.

Nos minutos seguintes, um cabeceamento de Depay assustou, mas Patrício, bem no relvado, agarrou. Reação natural da "laranja algo mecânica" em busca do empate nesta final. 

Fernando Santos quis contrariar e lançou Rafa, o "supersónico" ainda assustou na corrida face aos jovens defesas da Holanda. Com o apito final por perto, Portugal procurou manter a posse de bola no meio-campo contrário. 

Foi o suficiente para que Portugal erguesse o troféu conquistado, o primeiro de toda a história do futebol europeu nesta Liga das Nações, e em pleno Estádio do Dragão.

A festa saiu do estádio e seguiu para as ruas da cidade com passagem pela Avenida dos Aliados e pela Câmara do Porto.