Sporting vive em clima de turbulência

| Futebol Nacional

O universo sportinguista vive dias difíceis
|

O Sporting Clube de Portugal e a SAD vivem dias difíceis na sequência dos incidentes provocados por um grupo de 50 indivíduos, na passada terça-feira, na Academia de Alcochete e de acusações de corrupção no andebol e futebol.

Os factos sucedem-se a uma velocidade vertiginosa.

Em comunicado oficial, posteriormente confirmado pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, ficou a saber-se que o futuro da agremiação será decidida em assembleia geral extraordinária, “a ser marcada o mais breve possível”.

Os sportinguistas movimentam-se nos bastidores e as notícias sucedem-se a um ritmo avassalador.

Com vista para o futuro já surgiram em público vários notáveis a marcar a sua posição.

Confirmações absolutas não há mas figuras como José Maria Ricciardi e Rogério Alves não excluem a hipótese de assumirem cargos nos órgãos do clube.

A Comissão de Mercados de Valores Mobiliários (CMVM) pediu esclarecimentos ao Sporting sobre as notícias dos últimos dois dias, no sentido de avaliar a necessidade de a SAD leonina dar explicações ao mercado.

Posteriormente a Sporting SAD comunicou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que não há suspensão ou rescisão com qualquer elemento da equipa técnica, nem pedidos de rescisão de contratos de futebolistas.

"Não há qualquer suspensão ou rescisão do vínculo laboral de qualquer dos elementos da equipa técnica do plantel principal de futebol profissional. Não foi manifestada qualquer intenção de rescisão dos contratos de trabalho por parte de qualquer jogador da equipa principal de futebol profissional", diz a nota da Sporting SAD, em dois pontos distintos.

Os "leões" responderam assim a uma solicitação ainda hoje da CMVM, que pediu esclarecimentos sobre as notícias dos últimos dois dias, no sentido de avaliar a necessidade de a SAD leonina dar explicações ao mercado.


A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, a falta de medicamentos está a fazer desesperar a população. A reportagem é dos enviados à Venezuela Sérgio Ramos e Pedro Sá Guerra.

    Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.