Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Rafael Marchante - Reuters

Acompanhamos aqui os desenvolvimentos sobre a propagação do novo coronavírus à escala internacional. Há registo de 160 mortos em Portugal, contabilizadas novas 20 vítimas mortais na terça-feira. Estão confirmados 7.443 casos de infeção.

Mais atualizações


VEJA A INFOGRAFIA COM TODOS OS DADOS ATUALIZADOS DA SITUAÇÃO NO MUNDO. CLIQUE AQUI


23h29 - ANA propõe licenças sem vencimento e redução do período de trabalho

Para reduzir o impacto da crise provocada pelo novo coronavírus, a ANA - Aeroportos de Portugal propõe numa carta enviada aos trabalhadores licenças sem vencimento, redução em 20% do período normal de trabalho durante três meses e o gozo antecipado de férias.

Na carta, a que a Lusa teve acesso, o presidente executivo, Thierry Ligonnière, apela "à adesão individual a uma ou mais medidas de apoio", entre as quais constam a atribuição de licenças sem vencimento, redução temporária de 20% do período normal de trabalho durante três meses ou o gozo antecipado de férias relativas a 2020.

A empresa gestora dos aeroportos nacionais anunciou ainda a aplicação de um corte de 20% nos salários da Comissão Executiva, a suspensão da distribuição de prémios durante o período da crise, da revisão da tabela salarial e da atualização do subsídio de refeição até ao final do ano.

22h49 - Wall Street com pior trimestre do Dow Jones desde 1987

A bolsa nova-iorquina encerrou esta terça-feira em baixa o que foi o pior trimestre desde 1987 para o índice seletivo Dow Jones Industrial Average e desde 2008 para o alargado S&P500, dado o nervosismo causado pelo novo coronavírus junto dos investidores.

22h10 - Ex-presidente do Marselha Pape Diouf vítima do novo coronavírus

21h38 - China apresenta primeiros sinais de recuperação económica
 21h36 - Alegada especulação de preços

A ASAE instaurou nos últimos dias nove processos-crimes por eventual especulação de preços do álcool, álcool-gel, luvas e desinfetantes, bens necessários para a prevenção da covid-19, num total de 250 operadores fiscalizados.

21h17 - Morreu com Covid-19. Tinha 13 anos

Um rapaz de 13 anos morreu em Londres vítima do novo coronavírus.

21h13 - Governo já recebeu 3.600 pedidos de empresas para adesão ao novo lay-off

O Governo já recebeu 3.600 pedidos de empresas para aderirem ao regime lay-off lançado na semana passada, disse a ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

21h09 - França entra no segundo período de isolamento social
 21h03 - O Hospital Curry Cabral em Lisboa está a transformar-se numa unidade integralmente dedicada aos doentes com Covid-19

No Hospital já se encontram internados 32 pacientes, mas com as mudanças vai poder receber até 300 doentes. Reportagem de Vítor Gonçalves. 
 21h02 - Vítima europeia mais jovem da Covid-19 era belga. Reportagem do correspondente da RTP
 21h00  - Número de infetados volta a aumentar em Espanha. Reportagem da correspondente da RTP
 20h32  - Terceiro período escolar e renovação do estado de emergência por definir
 20h16 - Infarmed diz que ainda nenhum fármaco provou eficácia no combate à covid-19

O Infarmed diz que está a acompanhar todos os esforços nacionais e internacionais para o desenvolvimento de potenciais tratamentos e vacinas para a covid-19, mas insistiu que nenhum fármaco provou ainda a sua eficácia no combate à doença.

"À data, existem várias iniciativas que estão a decorrer, relativas a potenciais tratamentos da covid-19. Contudo, à presente data e mediante os dados preliminares, nenhum medicamento se demonstrou ainda eficaz no tratamento da covid-19", pode ler-se no comunicado divulgado pela autoridade do medicamento.

Sublinhando a importância da "sinergia de esforços, cooperação internacional e medidas de suporte para as empresas", o Infarmed referiu que esté "em articulação" permanente com a Agência Europeia do Medicamento (EMA).

Numa nota de imprensa igualmente publicada hoje, o organismo europeu revelou ter colocado o combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus "no topo das prioridades", além de estar atualmente a acompanhar diversas empresas no "desenvolvimento de cerca de 40 opções terapêuticas". (Lusa)

20h08 - Momento raro. Obama usa o Twitter para criticar Trump

O ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, considerou hoje que o seu sucessor, Donald Trump, ignorou os avisos sobre os riscos de uma pandemia do novo coronavírus, e recordou o mesmo comportamento quanto às alterações climáticas. 
 
19h29 - Putin oferece ajuda a Trump. Presidente dos EUA aceita

Putin, numa ligação telefónica com o Presidente dos EUA, ofereceu ajuda com o envio de equipamento médico para combater o novo coronavírus.

A proposta foi aceite por Donald Trump. Um avião russo com equipamento médico deve sair da Rússia a caminho dos EUA ainda esta terça-feira.

19h28 - Madeira com mais dois casos de Covid-19

Um no Funchal, outro no Porto Santo, elevando para 42 o número de infetados pelo novo coronavírus no arquipélago, indicou o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE).

19h09 - 84 pessoas detidas e 1600 estabelecimentos encerrados

Até às 18h00 de hoje, foram detidas pela PSP e GNR 84 pessoas por crime de desobediência, "designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência", lê-se em comunicado enviado às redações.

No mesmo período, foram encerrados 1.600 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

18h52 - TAP vai avançar para lay-off de 90 por cento da força de trabalho

A companhia aérea portuguesa vai pôr em casa 9 mil trabalhadores.

Os administradores executivos e não executivos propuseram uma redução do salário dos membros da administração em 35%.

"As condições remuneratórias definidas contemplam o pagamento de 2/3 das remunerações fixas mensais para os colaboradores em suspensão temporária da prestação do trabalho e o pagamento de 80% da remuneração fixa mensal para os colaboradores em redução de horário de trabalho, porque estes continuam a trabalhar para assegurar a retoma", indicou a TAP.

As medidas entram em vigor a 2 de abril por um período de 30 dias, que pode vir a ser alargado.

18h42 - França já tem mais vítimas mortais do que a China

O número oficial de mortes, em França, é agora de 3.523, quando ontem eram 3.024. É já superior ao da China. Cresceu em 17% nas últimas 24 horas e é o terceiro dia consecutivo que a taxa de mortalidade por Covid aumenta.

O número oficial de casos confirmados do novo coronavírus no país é de 52,128, quando ontem eram 44,550. Representa um aumento de 17 por cento.

18h23 - Mais de 40 mil mortes em todo o mundo e os EUA já têm mais vítimas mortais do que a China

A pandemia do novo coronavírus já matou 40.636 de acordo com a contabilidade da Johns Hopkins University. Há também quase 824 mil casos confirmados de pessoas que estão ou estiveram infetadas.

Um outro dado que é possível verificar é que os EUA já superaram o número de vítimas mortais registadas nas China.

Nos EUA, até ao momento, morreram 3415 pessoas. Na China morreram 3309.

17h55 - Dono da Tesla diz que tem ventiladores extra para entregar a hospitais em todo o mundo onde a empresa tem representação

Num post publicado no Twitter, Elon Musk, da Tesla, anunciou que têm ventiladores aprovados pelas autoridades de saúde norte-americanas para entregar em hospitais nos países onde a marca está implementada, como é o caso de Portugal.

O aparelho e o custo de envio serão gratuitos, diz. A única coisa necessária é que os aparelhos sejam necessários para uso imediato por doentes e não para ficarem parados num armazém.

A Tesla começou recentemente a produzir ventiladores em resposta à situação nos EUA. 

17h37 - Quatro casos de infeção com Covid nas prisões portuguesas

Em comunicado enviado às redações, o Ministério da Justiça informou que há neste momento "quatro infetados com COVID 19: Uma auxiliar e um guarda prisional (resultados recebidos hoje) do Hospital Prisional S. João de Deus e um guarda do EP Porto/Custóias (todos em isolamento domiciliário segundo indicação da saúde pública). Uma detida que entrou da liberdade já infetada em isolamento no Hospital Prisional".

17h21 - Itália. Curva de infeções parece estar a estabilizar

Aumentou em 837 o número de vítimas mortais em Itália, para um total de 12,428. Representa uma ligeira subida em relação a ontem.

O número de novos casos está num valor estável. Mais 4.053 contra os 4,050 de ontem. No total, no país, desde o início do surto, 105.792 foram infetadas.

Os dados indicam que a curva com a taxa de infeção está a estabilizar, o que são boas notícias.

17h19 - Estudo aponta potencial da hidroxicloroquina como tratamento contra o novo coronavírus

Um novo estudo chinês, desenvolvido num hospital de Wuhan, destacou o potencial da hidroxicloroquina como tratamento contra o novo coronavírus.

Colocado 'online' para pré-publicação, ou seja, não revisto por um comité de leitura especializado de uma revista científica, este estudo de médicos do hospital público de Wuhan abrange 62 pacientes infetados, um grupo de 31 que recebeu hidroxicloroquina (400 miligramas por dia) e um grupo de controlo de 31 doentes, que não recebeu esse tratamento.

Os dois grupos foram constituídos de forma aleatória, por computador, e os pacientes tinham uma idade média de 44,7 anos.

Apresentando sintomas de pneumonia que não haviam degenerado, todos receberam um tratamento 'standard': oxigénio, antivirais e antibióticos.

Foram realizados exames aos pulmões no início do estudo e após cinco dias completos de tratamento.

Após cinco dias de tratamento, os pacientes do grupo que recebeu hidroxicloroquina apresentavam um resultado bastante melhor relativamente à pneumonia, com melhorias em cerca de 80,6% (dos quais 61,3% apresentavam "uma melhoria notável").

Os sintomas de febre e de tosse foram igualmente atenuados mais rapidamente no grupo tratado com aquela substância do que no grupo de controlo, segundo os investigadores.

Os autores continuam prudentes, considerando que o potencial da hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19 foi "parcialmente confirmado". (Lusa)

17h03 - "O vírus é mais poderoso e perigoso do que esperávamos"

O núemro de pessoas que testaram positivo para a Covid-19 aumetnou em mais de 9 mil só em Nova Iorque. Isto em relação ao dia anterior.

Estão agora 75.795 pessoas infetadas e 1.550 pessoas morreram.

"O vírus é mais poderoso e perigodso do que esperávamos", disse o presidente da Câmara. "E ainda estamos a subir a montanha. A grande batalha vai ser no topo da montanha".

17h02 - Mais testes

Vereadores do CDS-PP da Câmara de Lisboa pediram uma "reunião de emergência" do executivo para a adoção de medidas adicionais de apoio aos idosos, sugerindo que todos sejam testados para evitar a propagação do novo coronavírus.

"Lisboa tem de ser exemplar e a Câmara Municipal de Lisboa tem o dever acrescido de proteger e salvaguardar os seus idosos. É preciso agir rapidamente, consolidar os apoios existentes e criar respostas mais rápidas para que ninguém seja deixado para trás", referem os vereadores do CDS-PP.

16h27  - EUA com mais de 164 mil casos e mais de 3 mil mortes

Os últimos dados recolhidos pela Johns Hopkins University indicam que há atualmente nos EUA 164.785 casos de pessoas infetadas e morreram já 3173 pessoas.

EUA devem muito em breve superar o número de vítimas mortais da China.

16h00 - Número de vítimas mortais no Reino Unido aumenta 27% em 24 horas

O número de mortos no Reino Unido aumentou 27 por cento num dia, para os 1.789. Mais 381, um aumento recorde desde o início da epidemia no país.

O número de casos confirmados no novo coronavírus também aumentou. Cresceu 14 por cento para os 25.150.

15h58 - PSP deteve mulher que dizia estar infetada e cuspia para clientes numa padaria

A PSP deteve em Braga uma mulher de 43 anos por distúrbios no interior de uma padaria, dizendo que estava infetada com o vírus da covid-19 e cuspindo em objetos e em pessoas, chegando mesmo a agredi-las. 

15h47 - Concelho da Povoação, Açores, isolado há dois dias
15h40 - Coronabonds

O ministro português dos Negócios Estrangeiros insistiu hoje que a emissão comum de dívida pública pela União Europeia é indispensável e recusou que seja interpretada "como um instrumento de resgate", como ocorreu na crise financeira de 2008.

"Precisamos de todas as formas de apoiar a economia e as pessoas, de preservar coesão social, a equidade e a capacidade produtiva", disse Augusto Santos Silva, ouvido hoje por vídeoconferência pela comissão de Assuntos Europeus da Assembleia da República, referindo-se aos efeitos da pandemia de covid-19. (Lusa)

15h20 - Ministro holandês das Finanças reconhece que declarações sobre Espanha foram "mal recebidas"

O ministro das Finanças afirmou ainda que tais declarações, "aparentemente", demonstraram "pouca compaixão".

Wopke Hoekstra admite agora discutir um contributo "maior do que a sua justa parte" para um qualquer tipo de programa de apoio europeu. Mas mantém que a Holanda é contra a partilha de dívida ao nível europeu.

15h17 - G20. Encontro de ministros das Finanças

Os ministros das Finanças do G20 afirmaram hoje que um plano de ajuda para combater os efeitos do novo coronavírus vai ter em conta o risco das vulnerabilidades das dívidas dos países mais pobres.

15h08 - O antes e o depois do novo coronavírus. O impacto na aviação

Basta um gráfico do site FlightRadar para se perceber como estava o tráfego há um ano e agora.

14h29 - "Preocupação está sempre presente" num quadro de pandemia, assume o Presidente da República

Questionado pelos jornalistas sobre as escolas, o Chefe de Estado adiantou que haverá na próxima semana, dia 7, uma reunião para analisar os dados tendo em conta a decisão que o Governo terá de tomar a 9 de abril sobre o terceiro período e o ano escolar.

Em relação ao conteúdo específico do decreto de renovação do Estado de Emergência, Marcelo Rebelo de Sousa considera que é "prematuro" especular sobre essa matéria, mas que as medidas mais específicas ou gerais serão da competência do Governo.

Acerca do pico da pandemia, o Presidente da República refere que o ritmo de crescimento do número de casos podeerá ter influência na antecipação do pico. A inversão da tendência poderá ou não ser antecipada, dependendo da evolução que se registar nos próximos dias.

Marcelo Rebelo de Sousa voltou a frisar que "vale a pena o esforço" e que o que os números mostram "dá razões aos portugueses para continuarem a fazer o que têm feito", mas também aos decisores políticos "para decidirem no futuro imediato num sentido idêntico o que decidiram no passado imediato".

Após a reunião com os especialistas, o Presidente da República assume que pode ter "menor preocupação" sobre a evolução da pandemia, mas ressalva que "a preocupação estará sempre presente" num quadro de pandemia.

14h20 - "Impõe-se manter as medidas de contenção", diz Marcelo Rebelo de Sousa

Terminou a reunião do Presidente da República na sede do Infarmed, em Lisboa. O Chefe de Estado ouviu especialistas e políticos para decidir se prolonga ou não o estado de emergência em Portugal.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que houve duas grandes conclusões desta reunião, a primeira sobre o abrandamento da tendência de crescimento e a segunda sobre a necessidade de manter as medidas de contenção.

"Olhando para a evolução da curva dos casos positivos, há uma diferença apreciável entre a primeira fase dessa evolução e a fase mais recente", disse o Chefe de Estado.

"A continuar o que parece ser uma tendência, temos uma fixação de valores que podem vir a ser menos de metade em média daqueles que se verificaram na primeira fase", enfatizou o Presidente.

Os especialistas reunidos entenderam que essa tendência poderá ter resultado do encerramento de escolas e outras medidas de contenção adotadas. "Essa é uma boa noticia a premiar o esforço dos portugueses", completou.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu, em segundo lugar, que essa é uma "conquista dos portugueses que não deve ser perdida", salientando que foi "unânime" entre os especialistas que se impõe "manter as medidas de contenção" por mais tempo, praticamente confirmando que o estado de emergência deverá ser prolongado.

"Este passo dá o fundamento científico reforçado" à decisão de prolongar o estado de emergência, frisou.

14h18 - Pandemia já matou mais de 38 mil pessoas

De acordo com a contabilização da agência France Presse até às 11h00 desta terça-feira, a pandemia de Covid-19 já matou 38.466 pessoas desde que a doença surgiu.

Já foram diagnosticados pelo menos 791 mil casos de infeção em 185 países ou territórios. Curaram-se pelo menos 163 mil pessoas.

14h07 - Utentes de lar de Estarreja fazem testes

Os utentes do lar Vida Nova, em Estarreja, onde se verificou a morte de uma idosa associada à Covid-19, vão ser submetidos hoje a testes para saberem se estão infetados.

A informação foi confirmada à agência Lusa pelo presidente da Câmara de Estarreja, Diamantino Sabina.

"Atendendo ao dramatismo e à situação complicada, vamos ter hoje mesmo os testes feitos por uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica que vem diretamente de Lisboa com `kits` do Instituto Ricardo Jorge", confirmou o autarca.

13h45 - Números sobem na Holanda

Em território holandês, o número de vítimas mortais da Covid-19 aumentou em 175 para 1039.

O número de casos confirmados de infeção na Holanda subiu em 845 para 12.595.

13h28 - Recuperamos os dados da DGS. Mais 1.035 casos e 20 mortos num dia

Olhamos novamente para o relatório de hoje da Direção-Geral da Saúde. Há registo de 160 vítimas mortais por Covid-19, mais 20 que ontem. Quanto ao número de casos confirmados há nesta altura 7.443 casos de infeção, mais 1.035 que o que tinha sido registado ontem.

Dos infetados, há 627 pessoas que estão internadas, das quais 188 em unidades de cuidados intensivos. O número de casos recuperados mantém-se nos 43. Há 4.610 pessoas a aguardar resultados laboratoriais.

A região Norte continua a ser a que regista maior número de vítimas mortais (83), seguida da região Centro (40) e Lisboa e Vale do Tejo (35). No Algarve há registo de duas vítimas mortais.

Grande parte das vítimas mortais foi registada entre doentes com mais idade: 97 das vítimas mortais tinha mais de 80 anos, 38 mortos tinham entre 70 e 79 anos. Há ainda registo de 17 vítimas mortais entre os 60 e os 69 anos, seis vítimas entre os 50 e os 59 anos, e ainda duas vítimas mortais entre os 40 e os 49 anos.

Quanto aos número confirmados de infeção, o Norte é a região mais afetada (4.452 casos), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (1.799), região Centro (911), Algarve (137), Alentejo (50), Açores (48) e Madeira (46). Os concelhos com mais casos confirmados são Lisboa (505), Porto (462), Vila Nova de Gaia (338), Gondomar (298) e Maia (293).

O grupo etário com mais pessoas infetadas continua a ser dos 40 aos 49 anos, seguindo-se o grupo dos 50 aos 59 anos e o grupo dos 30 aos 39 anos.

13h09 - Aquisição de testes vai reforçar diagnóstico nos lares

Sobre a testagem nos lares da região Norte, António Sales assegura que a capacidade de testagem está a ser reforçada. Nesta altura, o critério é de testar todos os funcionários de lares e todos os utentes sintomáticos, explica o secretário de Estado da Saúde.

Explica ainda que este reforço no número de testes é fruto da colaboração entre Governo com laboratórios e comunidade científica e que haverá mais testagem em todos os lares do país.

13h06 - "Vamos ter sempre um atraso" na comunicação de casos recuperados

O sub-diretor geral de Saúde explicou como é que um caso é considerado recuperado, que neste caso do Covid-19 não é igual ao da pneumonia habitual.

O responsável refere que têm indicação de muitas pessoas em casa sem sintomas, clinicamente bem, mas que as autoridades não estão a considerar como caso recuperado até ter pelo menos dois exames negativos, lembrando que o vírus pode ficar no organismo até 21 dias depois, apesar de as pessoas estarem clinicamente bem. Até lá, continuam em isolamento.

Só com dois testes negativos em casa é que são dados como recuperados. “Vamos ter sempre um atraso nos recuperados, na comunicação destes casos”, refere.

Ou seja, quem tem alta hospitalar pode só ser considerado recuperado mais tarde.

13h03 - Cordão sanitário no Porto. "Não faz qualquer sentido"

Questionado pelos jornalistas sobre a imposição de um eventual cordão sanitário no Porto, o secretário de Estado da Saúde esclareceu que a fixação de cercas sanitárias é decidida, em situações normais pelo Conselho de Ministros, e em situações de emergência por despacho do primeiro-ministro e ministro da Administração Interna.

Essas decisões são sustentadas na avaliação do risco feita pela autoridade de saúde, acrescentou.

"No caso do Porto não houve qualquer indicação da autoridade de saúde nesse sentido. Não faz qualquer sentido essa situação", frisou António Sales.

12h58 - “Houve duplicação” nos números de ontem, admite sub-diretor

Diogo Cruz admite que houve dados duplicados no boletim de ontem da DGS, vindos de duas fontes diferentes (Administrações e sistema de vigilância de notificação obrigatória) mas que “já foram corrigidos”.

Oresponsável diz que a partir de agora apenas passam a usar o dados do sistema de vigilância.

12h42 - Erros na comunicação de centros abertos

O sub-diretor geral de Saúde, Diogo Cruz, responde sobre a quarentena a quem chega ao país e diz que está a ser analisado pelas autoridades de saúde porque tem de ser uma decisão nacional, não regional, sob pena de não ser eficaz.

Diogo Cruz lembra que norma que entrou em vigor na semana passada que visava a massificação dos testes iria aumentar a sobrecarga nas unidades de saúde e o acompanhamento de pessoas com sintomas ligeiros em casa e que por isso “montámos todo um sistema novo” que poderia gerar alguns entraves no início. Mas “correu melhor do que estávamos à espera”, diz o sub-diretor geral de Saúde.

Diogo Cruz lembra que o SNS24 tem de ser ainda assim a porta de entrada no sistema, para fazer uma triagem prévia, com um algoritmo de avaliação atualizado (que não é igual ao inicialmente aplicado pelo serviço).

O sub-diretor admite erros na listagem no site das unidades de saúde novas (centros de saúde) onde pessoas podiam ir, mas que afinal estavam fechados. Mas garante que isso está a ser corrigido.

Em resposta aos jornalistas, António Sales reafirma toda a confiança do Governo na DGS. O secretário de Estado da Saúde reconhece que o "dinamismo, flexibilidade obriga-nos a respostas proporcionais" e obriga a fazer declarações que podem ser alteradas "devido à evolução do surto".

"Todas as determinações da DGS têm sido confirmadas e estão em consonância com as organizações internacionais", salienta o governante.

12h32 - Avião com 100 toneladas de material chega hoje ao Porto

Na habitual conferência de imprensa no Ministério da Saúde, o secretário de Estado da Saúde explicou porque é que o número de recuperados tem-se alterado pouco em relação a outros indicadores.

Essa realidade deve-se, em parte, ao facto de se tratar de uma doença de "convalescença lenta". Admite no entanto que possa haver uma notificação tardia por parte dos doentes o que justifica que possa haver um "hiato" maior no conhecimento da recuperação.

"Os doentes ficam assintomáticos antes da cura, mas demoram mais tempo até testarem duas vezes negativos", acrescenta o secretário de Estado.

António Sales salientou uma história que é sinal de "grande esperança": o caso de uma senhora de 93 anos da grande Lisboa que esteve 11 dias em internamento mas já recuperou e está a ser acompanhada no domicílio.

O secretário de Estado reforçou na comunicação inicial que uma das preocupações do Governo tem sido as populações mais vulneráveis, desde sem-abrigo, reclusos, doentes crónicos ou vítimas de violência doméstica.

Quanto aos reclusos, destaca que as medidas de contenção estão a resultar nos estabelecimentos prisionais. Refere ainda que os lares e residências para idosos têm de reforçar planos de contingência uma vez que a letalidade entre os mais idosos é bastante superior.

António Sales confirmou esta terça-feira que chega esta noite, ao Porto, um avião com 100 toneladas de material de proteção individual. Entre outros equipamentos, traz "3.5 milhões de máscaras cirúrgicas, cerca de 300 mil tocas e 100 mil batas".

Refere que o material é fundamental para proteger os profissionais de saúde, "a joia da coroa" do SNS.

"Não podemos baixar os braços. Contamos com todos nesta luta que se faz a partir da casa de cada um", acrescentou.

11h57 - 160 mortos em Portugal. Há 7.443 casos de infeção

De acordo com o novo boletim da Direção-Geral da Saúde, há registo de 160 vítimas mortais por Covid-19, mais 20 que ontem. Quanto ao número de casos confirmados há nesta altura 7.443 casos de infeção, mais 1.035 que o que tinha sido registado ontem.

Dos infetados, há 627 pessoas que estão internadas, das quais 188 em unidades de cuidados intensivos. O número de casos recuperados mantém-se nos 43. Há 4.610 pessoas a aguardar resultados laboratoriais.

A região Norte continua a ser a que regista maior número de vítimas mortais (83), seguida da região Centro (40) e Lisboa e Vale do Tejo (35). No Algarve há registo de duas vítimas mortais.

11h50 - Menina de 12 anos morre na Bélgica

Uma menina de 12 anos morreu na Bélgica devido à pandemia de Covid-19, confirmaram esta terça-feira as autoridades de saúde daquele país.

"É um caso muito raro, mas que nos afeta muito, é um momento emocionalmente muito difícil porque envolve uma criança", disse o microbiologista Emmanuel André, na conferência de imprensa diária sobre a Covid-19.

Na Bélgica, o número de mortes aumentou para 705, sendo que na véspera o número era de 513 vítimas mortais. Registaram-se 876 novos casos num total de 12.760 desde o início de março.

11h34 - África regista 173 mortes

O número de mortes por Covid-19 em África subiu para 173 nas últimas horas com os casos confirmados a ultrapassarem os 5.000 em 47 países.

De acordo com o boletim do Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças da União Africana, o número de casos positivos de infeção pelo novo coronavírus em África ascende a 5.255.

O norte de África continua a ser a região com registo de mais casos e mortes associadas à doença.

11h28 - Irão regista 2.898 mortos

As autoridades iranianas contabilizaram mais 141 vítimas mortais, elevando o número oficial de motos no Irão para 2.898.

Foram registados 3.111 novos casos de contaminação nas últimas 24 horas. Já foram registados 44.606 casos no país.

11h06 - Lar de idosos em Barcelos evacuado

O Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, onde já se registaram pelo menos nove casos positivos de Covid-19, está a ser evacuado.

Dezoito idosos que não estão infetados vão ser transferidos para o Seminário da Silva, também no concelho de Barcelos.

De acordo com a agência Lusa, os doentes infetados foram transportados para o hospital durante a última noite.

10h58 - Itália mantém confinamento geral até à Páscoa

A Itália vai prolongar, pelo menos até à Páscoa, o confinamento imposto aos seus 60 milhões de habitantes, apesar do registo de sinais positivos no combate à pandemia da Covid-19.

“Podemos esperar atingir o pico em sete a dez dias. Depois, assistiremos a um declínio no contágio”, reconheceu o vice-ministro da Saúde, Pierpaolo Sileri.

A indicação dos especialistas é clara: os dados mais recentes são um bom presságio, mas o índice de contágio “R0” ainda não está abaixo de 1 e, portanto, o caminho ainda é longo, de semanas. Ou seja, pelo menos até maio. Só aí se poderá reivindicar ter vencido o vírus.

10h55 - Alemanha ultrapassa as 500 vítimas mortais

A Alemanha regista 583 vítimas mortais da Covid-19, um aumento de mais de uma centena em relação ao dia anterior, de acordo com dados oficiais do Instituto Robert Koch.

Segundo a entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças, o país contabiliza 61.913 casos diagnosticados, um crescimento de 4.615.

10h36 - Espanha regista 849 mortos em 24 horas

Espanha registou 849 mortos com a Covid-19, um novo máximo de vítimas mortais em apenas um dia. No total são já 8.189 mortos.

O número de contagiados alcançou os 94.417 casos, 9.222 nas últimas 24 horas. Há 5.607 pacientes em unidades de cuidados intensivos. Desde o início do surto, 19.259 pessoas tiveram alta.

10h26 - Papa pede apoio para os sem-abrigo

O Papa Francisco instou hoje a sociedade e a Igreja católica a acolher os sem-abrigo expostos à pandemia do novo coronavírus.

"Rezamos hoje por aqueles que não têm uma casa numa altura em que nos pedem para ficarmos dentro. Rezamos para que a sociedade de homens e de mulheres se dê conta desta realidade e os ajude, e à Igreja que os acolha", disse o Papa Francisco durante a missa matinal celebrada na residência oficial.

10h12 - Açores. Autoridades regionais mantêm cerco sanitário no concelho de Povoação

Os carros que tentam entrar em Povoação, São Miguel, são revistos pelas autoridades. Nem toda a gente pode entrar: só os profissionais de saúde, agentes de segurança e outras profissões específicas são exceção.

Até ao momento foram diagnosticados quatro casos de Covid-19 no concelho.

10h08 - Facebook e Instagram também apagam publicações de Bolsonaro

O Twitter foi a primeira rede social a apagar conteúdos do Presidente do Brasil relacionados com a pandemia da Covid-19.

Seguiram-se, nas últimas horas, o Facebook e o Instagram, com o argumento que as regras excluem publicações em que a "desinformação que possa causar danos reais às pessoas".

Em causa está um novo vídeo de Jair Bolsonaro, no qual o Presidente brasileiro conversa com um vendedor ambulante de Taguatinga, nos arredores de Brasília.

“Conversei com as pessoas e elas querem trabalhar. É o que eu disse desde o início. Vamos tomar cuidado, as pessoas com mais de 65 [anos] devem ficar em casa”, bradou Bolsonaro.

Outra das ideias propaladas pelo Presidente foi a de que a cloroquina, fármaco utilizado para tratar a malária, “está a funcionar em todos os lugares”, algo que ainda carece de validação científica.

A pandemia da Covid-19 já fez 159 vítimas mortais no Brasil. Há registo de pelo menos 4579 infetados.

9h49 - Portugueses em Macau juntam 104 mil euros em menos de uma semana

A comunidade portuguesa em Macau já arrecadou mais de 924 mil patacas (104 mil euros) em menos de uma semana para comprar material médico para Portugal. O valor foi avançado hoje à agência Lusa pelo presidente do BNU Macau, Carlos Álvares.

9h43 - Portugueses continuam retidos em Bali

A ilha indonésia de Bali declarou o estado de emergência, que determina medidas mais rígidas para conter a propagação da Covid-19.

Neste território continuam retidos dezenas de turistas portugueses à espera de conseguir viajar para Portugal. A Indonésia tem atualmente um total de 1414 casos registados, com 122 mortes e 75 pessoas recuperadas.

9h35 - 2.000 migrantes na Grécia expostos ao Covid-19

A Human Rights Watch acusa as autoridades gregas de deterem quase dois mil migrantes num campo sobrelotados em condições que potenciam o surto da Covid-19.

Segundo a organização não-governamental, as autoridades afirmam que estão a manter os recém-chegados, incluindo crianças, pessoas com deficiência, idosos e mulheres grávidas, em quarentena devido à epidemia da Covid-19, "mas a ausência de precauções básicas de saúde provavelmente irá ajudar o vírus a espalhar-se".

9h13 - China. Mais 48 casos vindos do exterior

A China continua a registar dezenas de novos casos de contágio oriundos do exterior. Isto apesar de ter interditado a entrada de estrangeiros no país desde sábado.

De acordo com as autoridades chinesas, morreu uma pessoa devido à infeção pelo novo coronavírus. A morte ocorreu em Wuhan, epicentro da epidemia.

O número total de infetados diagnosticados na China, desde o início da pandemia, é de 81.518, entre os quais 3.305 morreram e 76.052 tiveram alta após superarem a doença.

9h05 - Conselho de Segurança da ONU estreou votação por e-mail

Pela primeira vez, os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas votaram resoluções por e-mail devido às medidas de contenção da Covid-19. A reunião decorreu por videoconferência mas as votações foram feitas por correio eletrónico.

Os 15 membros votaram para manter as tropas na região de Darfur, no Sudão, até ao final de maio, e a missão política da ONU na Somália até 30 de junho. Estenderam ainda o mandato do painel de especialistas que monitoriza as sanções contra a Coreia do Norte até 30 de abril de 2021 e salientaram a importância de se continuar a apoiar as operações de manutenção de paz da ONU.

8h49 - Números na Síria são “o topo do icebergue”

O chefe da agência da ONU para os Assuntos Humanitários disse na segunda-feira que os dez casos de Covid-19 registados na Síria e a vítima mortal provocada pela doença são apenas “o topo do icebergue”. Mark Lowcock avisou que é de esperar “um impacto devastador” naquele país, sobretudo nas comunidades mais vulneráveis.

"Todos os esforços para prevenir, detetar e responder à Covid-19 são impedidos pelo frágil sistema de saúde sírio", avisou. Após nove anos de guerra civil, apenas metade dos hospitais e centros de cuidados primários estavam a funcionar no final de 2019.

Em declarações ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, Mark Lowcock falou ainda dos elevados movimentos da população no território e da falta de equipamentos essenciais, como ventiladores e equipamentos de proteção individual. Há ainda as dificuldades de isolamento em locais como campos de refugiados ou em comunidades sobrepovoadas com baixos níveis de serviços sanitários.

O enviado especial da ONU para a Síria, Geir Pedersen, avisou durante a videoconferência do Conselho de Segurança das Nações Unidas que o país corre grandes riscos de não ser capaz de conter a pandemia e apelou a um cessar-fogo "completo, imediato e nacional".

8h24 - Mais de três mil mortos nos EUA

O número de vítimas mortais por Covid-19 nos Estados Unidos ultrapassou os 3.000 na segunda-feira a noite. A marca dos 2.000  mil mortos tinha sido ultrapassada no sábado.

Há agora 163 mil casos de informação confirmados. Os EUA são o país com mais casos do novo coronavírus.

8h15 - Jovem de 14 anos terá morrido de meningite

Tinha testado positivo, mas o jovem de 14 anos, natural de Ovar, não terá morrido devido ao novo coronavírus. É o que adianta o Jornal de Notícias desta terça-feira.

O resultado da autópsia aponta para que o adolescente tenha sido vítima de meningite.

Falta a confirmação oficial por parte das autoridades de saúde, que até agora não tinham contabilizado a morte deste jovem de 14 anos como um óbito relacionado com a Covid-19.

7h54 - Conselhos da DGS para a alimentação das crianças

A Direção-Geral da Saúde propõe um reforço dos legumes e fruta na alimentação das crianças e apela aos pais para que evitem ter em casa snacks hipercalóricos no decurso do isolamento social.

Num manual publicado no portal da entidade, com os cuidados a ter para uma alimentação saudável e sugestões de atividades para crianças durante a pandemia da Covid-19, recorda-se que a necessidade de uma permanência mais prolongada em casa conduz a uma menor atividade física e a alterações nos padrões de compra de alimentos que podem colocar algumas crianças em risco.

"O consumo de alimentos hipercalóricos e de menor densidade nutricional associado ao sedentarismo podem promover o ganho de peso e o aparecimento de doenças associadas no futuro", alerta a DGS.

7h15 - Ponto de situação


O Presidente da República começa esta terça-feira a ouvir especialistas e políticos para depois decidir sobre o prolongamento do estado de emergência.

Marcelo Rebelo de Sousa já ouviu os parceiros sociais. Agora reúne-se no Infarmed com especialistas da área da saúde. O primeiro-ministro afirma que as medidas restritivas vão continuar, com ou sem estado de emergência. António Costa relembra que o país vai entrar no mês mais crítico da pandemia e admite uma situação muito dificil para os hospitais.



Estão também presentes o primeiro-ministro, o presidente da Assembleia da República, líderes partidários e de confederações sindicais e patronais.

Esta segunda reunião no Infarmed vai contar também com o Conselho de Estado, por videoconferência.
Na quarta-feira, o Chefe de Estado vai reunir-se com o Governo.

O período legal do estado de emergência termina à meia-noite da próxima quinta-feira.
Números em Portugal
O número de novas infeções por coronavírus aparenta estar a desacelerar em Portugal: de domingo para segunda-feira houve um aumento de 7,5 por cento no numero de casos.

Desde sexta-feira que esta tendência se mantém. No total, há agora 6408 pessoas com Covid-19 em Portugal. A doença causou 140 mortes.

Entre os infetados pelo novo coronavírus, estão 853 profissionais de saúde, dos quais 209 médicos e 177 enfermeiros.

Os números foram acançados pelo secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, que assinalou que "ficar em casa é salvar vidas".

No plano da atuação das forças de segurança, foram já detidas 81 pessoas por alegada violação das normas do estado de emergência. e mais de 1500 estabelecimentos foram encerrados por não estarem a cumprir as regras.

A Guarda Nacional Republicana tem levado a cabo ações de fiscalização e aconselhamento.
Máscaras em cadeias

Foram entretanto entregues 22 mil máscaras a reclusos da região norte. Os números são do Ministério da Justiça.

A tutela garante que, deste número, 13.900 foram distribuídas pelos estabelecimentos prisionais e centros educativos. As restantes 9100 foram entregues ao Hospital Prisional.

As próprias reclusas do Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo estão a produzir material de proteção a ser remetido para aquela unidade.
Situação nos lares
O programa de testes de despiste da Covid-19 nos lares de idosos arrancou na segunda-feira - Lisboa, Aveiro, Évora e Guarda são os primeiros municípios onde haverá recolhas, mas o projeto deverá chegar a todo o país.

Algumas destas instituições lares queixam-se da falta de material e do tempo de apuramento do resultado dos testes. Apelam ainda à ministra da Saúde, Marta Temido, para que os idosos infetados vão para hospitais, mesmo que não tenham sintomas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou até ao momento mais de 750 mil pessoas em todo o mundo. Morreram mais de 36 mil. Pelo menos 148.500 dos casos foram dados como curados.