Paralímpicos arrecadam quatro medalhas em Londres

| Outras Modalidades

Érica Gomes esteve brilhante no salto em comprimento
|

Portugal conseguiu duas medalhas de prata, por Cristiano Pereira e Érica Gomes, e duas de bronze, por Hélder Mestre e Ana Filipe, na jornada dos Mundiais de atletismo do Comité Paralímpico Internacional, em Londres.

Cristiano Pereira foi segundo nos 1.500 metros da categoria T20 (deficiência intelectual), com um novo recorde da Europa (3.55,39 minutos), enquanto Érica Gomes foi segunda no comprimento T20, com 5,48 metros.

Por seu lado, Hélder Mestre foi terceiro nos 400 metros da categoria T51 (cadeira de rodas), em 1.25,65 minutos, e Ana Filipe acabou imediatamente atrás da compatriota Érica Gomes no comprimento, ao 'pular' 5,26 metros.

Na sessão vespertina, Cristiano Pereira foi o destaque luso, sendo apenas batido nos 1.500 metros pelo norte-americano Michael Branningan, com novo máximo dos campeonatos (3.53,06 minutos). O bronze ficou para o polaco Rafal Korc (3.56,82).

Nos 400 metros T51, o vencedor foi o belga Peter Genyn, em 1.21,63 minutos (recorde dos campeonatos), seguido pelo mexicano Sanchez Navarro, com 1.24,10. Logo a seguir, no terceiro posto, acabou Hélder Mestre, que registou 1.25,65.

Ainda na jornada da tarde, merece destaque também o quarto lugar de Carolina Duarte nos 100 metros da categoria T13 (deficiência visual), que conseguiu, com vento nulo, um novo recorde pessoal, cifrado em 12,43 segundos.

O outro foi conquistado pela ucraniana Leika Adzhametova (12,00 segundos), seguida pela sul-africana Ilse Hayes (12,17) e a norte-americana Kym Crosby (12,18).

Na sessão da manhã, brilhou Érica Gomes, com a prata no salto em comprimento T20. Fez a sua melhor marca à quinta e última tentativa, com 5,48 metros, num pódio fechado pela compatriota Ana Filipe, que saltou 5,26.

Ainda na mesma prova, Cláudia Santos concluiu a participação portuguesa com o nono lugar, ao saltar 4,66 metros.

No salto em comprimento T38, Maria Fernandes alcançou a sua melhor marca da temporada, com 4,28 metros, mas não conseguiu fugir ao sexto e último lugar da final.

Nos 400 metros femininos T20, Carina Paim qualificou-se para a final, após ter sido terceira classificada da sua série, com o tempo de 1.01,86 minutos.

Também nos 400 metros T20, mas em masculinos, Luís Gonçalves assegurou a presença na final, apesar ter terminado a sua série na segunda posição. Apenas o primeiro lugar dava acesso direto, mas o português foi repescado por ter feito o segundo melhor tempo (49,84 segundos) das meias-finais.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.