Instalação de parcómetros vai criar mais 300 lugares de estacionamento pago em Braga

O Centro Histórico da cidade de Braga vai ter cerca de 300 novos lugares pagos de estacionamento à superfície, com a colocação de parcómetros em 27 ruas, informou hoje o vereador do Trânsito.

Em conferência de imprensa, Hugo Pires explicou que os parcómetros vão ser colocados em 19 novas ruas, mas também no prolongamento de mais cinco que já têm aquelas máquinas de pagamento e em três que já tiveram parcómetros, deixaram de ter e vão agora voltar a ter.

No total, serão cerca de 300 novos lugares de estacionamento pago à superfície, que se juntam aos 1.200 já existentes.

Pires assegurou que, "neste mandato, não haverá mais aumento da área de parcómetros".

Para o vereador, a colocação de parcómetros é uma medida "amiga do ambiente", uma vez que pretende incentivar ao uso dos transportes públicos, mas também "amiga dos comerciantes e dos moradores" do Centro Histórico.

Os moradores podem estacionar por uma avença de 8,60 euros por mês e os comerciantes por 18,45 euros.

"Grande parte dos comerciantes é a favor desta medida", assegurou, lembrando que a ideia é promover a rotatividade, "o que é altamente benéfico para o comércio, moradores e acesso aos serviços".

O líder da Coligação Juntos por Braga, Ricardo Rio, já classificou a colocação de parcómetros em mais 27 ruas da cidade como um "assalto aos bolsos" dos bracarenses.

A CDU local acusou a Câmara de alargar a área de estacionamento pago na cidade para "beneficiar" a gestora dos parcómetros na cidade, uma empresa do grupo Britalar, e pôs a circular uma petição contra esta "negociata", que já conta com mais de 2.500 assinaturas.

Na quarta-feira, e segundo Carlos Almeida, da Concelhia do PCP, haverá um protesto frente aos Paços do Concelho, "para que os responsáveis autárquicos possam sentir o desacordo da população e reconsiderem, voltando atrás na decisão".

A gestão das áreas de estacionamento pago à superfície na cidade está concessionada a uma empresa do grupo Britalar, de António Salvador, presidente do Sporting Clube de Braga.

Hugo Pires sublinhou que a solução adotada pela Câmara de Braga "não é inovadora", já existindo em mais de três dezenas de cidades do país.

Lembrou ainda que 51,5% da faturação dos parcómetros reverte para o Município.

Um jornal de Braga noticiou hoje que a Câmara iria colocar parcómetros em 99 ruas, mas Hugo Pires garantiu que essa informação resultou de "um lapso" dos serviços do Município, traduzido numa troca de regulamentos mas que será corrigido na próxima reunião do executivo.

  • .Corrigir
  • .Leia-me
  • .Imprimir
  • .Enviar
  • .Partilhar
  • .Aumentar
  • .Diminuir