Mundial 2022. A fase a eliminar está prestes a começar

por Inês Geraldo - RTP
Mundial 2022 chegou à fase das eliminatórias Reuters

Depois de 48 jogos em menos de dez dias, o Mundial está prestes a entrar na fase a eliminar, a fase mais decisiva da maior competição de futebol do mundo. Este Mundial trouxe a confirmação do poderia de algumas seleções mas tem sido pródigo em surpresas com alguns dos crónicos favoritos a ficarem pelo caminho.

Mais de quatro dezenas de jogos, com quatro jogos por dia, uma fase de grupos sem parar. Já são conhecidas as 16 melhores equipas do mundo e a partir deste sábado, começam os oitavos de final, começa a fase a eliminar.

Houve muito futebol no Catar, onde se destacaram alguns ‘outsiders’ e algumas das seleções favoritas caíram na fase de grupos ou não conseguiram vencer o grupo onde estavam. Esta é a análise da fase de grupos do Mundial 2022.As surpresas da competição
Este mundial tem visto grandes jogos e grandes surpresas. A primeira será possivelmente o Japão. Num grupo com Espanha e Alemanha, ninguém pensaria que o Japão pudesse ser uma ameaça real. Nas primeiras partes frente aos campeões do mundo, os nipónicos deram a iniciativa de jogo a espanhóis e alemães e saíram a perder.

No entanto, na segunda parte, o técnico Moriyasu fez as alterações que devia e o Japão transformou-se. A perder os dois jogos por 1-0, os nipónicos tiveram perseverança e bom futebol para dar a volta ao texto, terminado vencedor nos dois jogos e no Grupo E.

Foto: Reuters

A Austrália é outra das surpresas. Os Socceroos avançaram para este campeonato do mundo num grupo com França (campeã do mundo) e Dinamarca (semi-finalista do último Europeu) e o primeiro jogo não deixou boas memórias. Mbappé e companhia golearam os australianos.

No entanto, as duas partidas seguintes trouxeram uma Austrália a vencer tanto a Tunísia como a Dinamarca pela margem mínima, colocando australianos no segundo lugar do Grupo D e garantindo a qualificação. Nos oitavos, a Austrália encontrará a Argentina.

Segue-se Marrocos. Depois da qualificação meritória do Senegal, também Marrocos colocou mais uma seleção africana nos oitavos de final do Mundial. Num grupo com Bélgica e Croácia, os Leões do Atlas conseguiram empatar a vice-campeã croata e derrotar a geração de ouro da Bélgica. Na última jornada, uma vitória sobre o Canadá permitiu somar sete pontos e dar o primeiro lugar do Grupo F aos marroquinos.

Foto: Australianos festejam qualificação frente à Dinamarca - Reuters

Por último vem, novamente, uma seleção asiática. A Coreia do Sul entrou a empatar a zero com o Uruguai e perdeu com alguma injustiça na segunda jornada frente ao Gana.

A qualificação mostrou-se difícil mas a Coreia do Sul, treinada por Paulo Bento, mostrou-se agressiva e muito bem organizada contra uma equipa de segundas linhas frente a Portugal. Apesar de começar a partida praticamente a perder, os coreanos não desistiram do resultado e um contra-ataque veloz de Son já na compensação, permitiu a Hee-Chan Hwang bater Diogo Costa, dar quatro pontos à Coreia do Sul e a respetiva qualificação.
As grandes decepções
Com as grandes surpresas no Mundial, surgem também as decepções. A primeira grande surpresa negativa deste campeonato do mundo veio do Grupo D. Depois de chegar às meias-finais do Euro2020, a Dinamarca não soube impor o seu jogo e acabou em último lugar do grupo.

Sem um futebol eficaz, os dinamarqueses não conseguiram bater a Tunísia, perderam com a França, com um Mbappé em grande destaque, e foram surpreendidos pela Austrália, com Mathew Leckie a marcar o único golo australiano que eliminou a Dinamarca do Mundial.

Foto: Kevin de Bruyne foi o rosto do desalento belga - Reuters

A Bélgica e a Alemanha também estão neste grupo. A geração de ouro belga, semi-finalista do Rússia 2018 não conseguiu melhor que uma vitória (frente a um Canadá que dominou os belgas), um empate e uma derrota com Marrocos.
Depois de muitas acusações dentro da própria equipa de que os jogadores estavam a começar a ficar velhos, os belgas acabam por ficar de fora.

A Alemanha volta a cair na fase de grupos, depois de 2018. A equipa de Hansi Flick foi surpreendida pelo Japão na primeira partida, esteve perto de nova derrota com a Espanha e nem mesmo a vitória frente à Costa Rica serviu para qualificarem-se, já que o Japão também surpreendeu e venceu a Espanha.

Um crónico candidato a vencer o Mundial voltou a cair, pela segunda vez consecutiva.

Por último, o Uruguai. Conhecido pela agressividade alma guerreira sul-americanas, o Uruguai não foi capaz de passar a fase de grupos. Apesar da vitória sobre o Gana na última jornada, os uruguaios deixaram-se empatar com a Coreia do Sul e perdeu com Portugal.

Com a derrota de Portugal frente à Coreia nos últimos minutos, o Uruguai acabou por dizer adeus ao mundial ainda na fase de grupos.
A confirmações dos candidatos
Apesar de muitas equipas com aspirações a vencer o Mundial terem caído, outras mostraram que estão para ficar durante muito tempo no Qatar.

Foto: Mbappé tem sido uma das figuras deste Mundial - Reuters

Os grandes candidatos parecem ser França, Brasil e Argentina. Apesar do percalço na primeira jornada, os argentinos venceram o México e a Polónia e seguem em frente, jogando com a Austrália nos oitavos. Na teoria, a equipa de Scaloni parece bem encaminhada para os quartos de final mas é preciso ver o que dará a partida deste sábado.
Brasil e França têm as estrelas no Catar e têm mostrado um futebol positivo e autoritário para conseguir chegar longe.

Tite e Deschamps têm as ferramentas para fazer um bom Mundial e até para conseguir ganhá-lo.
Jogadores que chamam a atenção
Grandes estrelas foram para o Catar para jogar mais um campeonato do mundo. Para alguns, como é o caso de Messi e Cristiano Ronaldo, este deverá ser o último mundial. No entanto, para outros este é um mundial de confirmação.

O primeiro jogador a chamar a atenção neste campeonato do mundo foi Enner Valencia, do Equador. O jogador de Jorge Jesus, no Fenerbache, marcou por duas vezes no jogo de abertura deste Mundial e conseguiu um tento frente aos Países Baixos, num jogo que acabou empatado a um.

Apesar das boas prestações, o Equador foi eliminado da fase de grupos pelo Senegal e Valencia já não poderá mostrar mais o seu futebol no Catar.

Foto: Cody Gakpo tem sido uma das principais figuras deste Mundial - Reuters

Falando em Países Baixos, uma das maiores promessas europeias parece estar a dar nas vistas no Catar. Cody Gakpo tem mostrado com camisola da ‘Laranja Mecânica’ todas as credenciais que têm feito notícia e que granjeiam rumores de transferências para alguns dos maiores clubes europeus.

Em três partidas da fase de grupos, Gakpo leva três golos e vai tentar continuar a boa senda frente aos Estados Unidos, nos oitavos de final.

Um outro destaque individual pode ser o de Ritsu Doan, avançado japonês, que foi essencial nas vitórias do Japão sobre a Alemanha e Espanha, tendo marcado em ambas as partidas. O próximo adversário será a Croácia.
pub